PUBLICIDADE
Topo

Para TV Globo, crise não afetará faturamento este ano

Novela das 21h é um dos horários nobres de publicidade na Globo - Divulgação/TV Globo
Novela das 21h é um dos horários nobres de publicidade na Globo Imagem: Divulgação/TV Globo
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

08/12/2015 07h00

Perto de alguns bancos, agências e analistas, a Globo até que está "otimista" em relação ao resultado do PIB do Brasil este ano. Enquanto alguns economistas estimam que o PIB em 2015 seja de até -3,5%, a Globo prevê que a queda será em torno de -3%.

 
A despeito disso, a emissora é ainda mais otimista em relação a si própria. Ela acredita que seu faturamento publicitário não será afetado pela crise que grassa pelo país.
 
Em 2013, estima-se que só a TV teve receita líquida de quase R$ 11 bilhões. No ano passado, graças à Copa, o faturamento cresceu para R$ 12,5 bilhões. 
 
"As empresas (...) não deixarão de investir (este ano) em suas marcas – especialmente na TV, o local mais seguro para os investimentos publicitários, seja qual for o cenário econômico", respondeu a Globo à coluna, por meio da CGCom.
 
Duas fontes do mercado publicitário ouvidas por esta coluna (sob anonimato) concordam com a emissora.
 
Segundo essas fontes, a Globo "está no topo da cadeia alimentar" da publicidade brasileira. Para elas, os anunciantes da Globo são empresas de grande porte, com marcas muito sólidas não só na economia, mas também na propaganda.
 
Mesmo a crise que atingiu estatais como a Petrobras, que reduziu em muito seus gastos em publicidade, não farão diferença no final do balanço da emissora, afirmam.
 
Porém, as duas fontes ouvidas também concordam que, se a TV Globo não será afetada com relevância pela crise, o mesmo não se pode dizer do restante do Grupo Globo (rádios, sites, jornais, revistas etc.)
 
Para esse "corte" do Grupo Globo estimam que possa haver queda de faturamento entre 6% e 12% este ano.
 
NOTA OFICIAL
Veja abaixo a íntegra da nota enviada pela Globo à coluna, com sua análise sobre o momento do país e seu efeito na TV.
 
“A previsão é que o PIB brasileiro caia em torno de -3%, refletindo o momento difícil que o Brasil passou este ano. Mas, sabemos que o mercado da propaganda é indispensável para a economia e decisivo para impulsionar os negócios. As empresas sabem a importância da propaganda para os seus negócios, para manter e ampliar as suas posições e, portanto, não deixarão de investir em suas marcas - especialmente na TV, o local mais seguro para os investimentos publicitários, seja qual for o cenário econômico. Em tempos de crise ou de crescimento, a TV aberta é comprovadamente o meio mais eficiente e rentável para os anunciantes de todos os setores.”
Central Globo de Comunicação