PUBLICIDADE
Topo

ABL tem última eleição do ano para escolha de novo imortal

O escritor Gabriel Chalita, presidente da Academia Paulista de Letras, está entre os indicados - Isadora Brant/Folhapress
O escritor Gabriel Chalita, presidente da Academia Paulista de Letras, está entre os indicados Imagem: Isadora Brant/Folhapress

16/12/2021 08h31

A ABL (Academia Brasileira de Letras) elege hoje na sede da instituição, no Rio, o novo ocupante da cadeira dois de seu quadro de membros efetivos, vaga com a morte, no dia 9 de setembro deste ano, aos 93 anos, do filósofo, professor e magistrado Tarcísio Padilha.

Concorrem à sucessão dez candidatos, entre eles duas mulheres: Sergio Bermudes, Gabriel Chalita, Eduardo Giannetti da Fonseca, Samia Macedo, Antônio Helio da Silva, José Humberto da Silva Henriques, Eloi Angelos Guio D'Aracosia, Jeff Thomas, José William Vavruk, Joana Rodrigues e Alexandre Figueiredo.

Será eleito aquele que alcançar a maioria absoluta dos votos.

Após a votação, o novo presidente da ABL, jornalista Merval Pereira, procederá à tradicional queima dos votos. Antes de Tarcísio Padilha, ocuparam a cadeira dois Coelho Neto (fundador), João Neves da Fontoura, João Guimarães Rosa e Mário Palmério.

Esta é a quinta e última eleição deste ano de novos imortais da ABL. Normalmente, não teria ocorrido todo esse movimento, ou acúmulo de eleições, em um mesmo período. Mas, em razão da pandemia de covid-19, a ABL ficou sem suas sessões acadêmicas presenciais. Somente quando a instituição voltou a ter as sessões no formato virtual, primeiramente, e depois no modo híbrido, é que os trâmites para ocupação das cadeiras puderam ser retomados.

Os novos imortais eleitos em 2021 foram a atriz Fernanda Montenegro, para a cadeira 17, que foi do jurista Afonso Arinos de Mello Franco; o compositor e ex-ministro da Cultura Gilberto Gil, para a cadeira 20, ocupada anteriormente pelo jornalista Murilo Melo Filho; o cirurgião Paulo Niemeyer, para a cadeira 12, que pertenceu ao crítico literário Alfredo Bosi; e o romancista e advogado José Paulo Cavalcanti para a cadeira 39, do ex-vice-presidente da República, Marco Maciel.