Conteúdo publicado há 29 dias

Emicida chora e enche o palco de artistas negros em última turnê de AmarElo

Emicida lotou o Parque Ibirapuera neste sábado (25) para a última turnê do álbum AmarElo. Os ingressos esgotaram.

O que aconteceu

O espetáculo foi batizado de "AmarElo - A Gira Final", em homenagem à gira, ritual das religiões de matriz africana que utiliza as danças, os cantos e as rezas para estabelecer as conexões com os seres espirituais (orixás). Geralmente, é nesses rituais que é possível pedir ou agradecer às entidades.

Na apresentação em São Paulo, Emicida criou a atmosfera da gira ao entregar um show marcado pelo agradecimento. No fim, o artista chorou, com nítida sensação de dever cumprido.

"Vocês deram outro significado para minha vida. Obrigada por tudo!", disse.

A mensagem de esperança, espiritualidade e coletividade foram evidenciados por um palco repleto de artistas negros, indígenas e de origem periférica.

O show teve abertura de Discopédia, Jota.pê, Pathy Dejesus e DJ Sophia; e participação de Rico Dalasam, Rashid, Prettos, Fabiana Cozza, Amiri, Dory de Oliveira, Stefanie, Muzzike, Raphão Alaafin, Souto MC, Doctor MC's, Projota, Jé Santiago, Rappin Hood, Miguelzinho do Cavaco, Karol Conká e Pastor Henrique Vieira.

"É uma alegria imensa abrir o show do Emicida, que é um artista que eu sou fã. Me sinto honrado de fazer parte desse momento", diz Jota.pê.

Para Emicida, "AmarElo" é mais do que um disco, é um experimento social. Com 11 faixas, o trabalho foi responsável por impulsionar a carreira do artista e aproximá-lo de outras vertentes musicais como o samba, o rock e a bossa nova, que é presente na sonoridade do artista e do álbum.

O trabalho venceu o Grammy Latino na categoria de melhor álbum de rock ou música alternativa em língua portuguesa, em 2020.
O espetáculo "AmarElo" levou para o mundo um disco que Emicida chama de "experimento social". Foi realizado 120 vezes, passou por 9 países e 55 cidades

Continua após a publicidade

A turnê "AmarElo - A Gira Final" passa por de norte à sul do Brasil, por 12 cidades. O show já aconteceu em Belo Horizonte (08 e 09 de abril) com ingressos lotados; Porto Alegre (6 de abril); Brasília (12 de abril); Goiânia (13 de abril); Recife (26 de abril); Salvador (11 de maio) e Rio de Janeiro (18 de maio). Depois deste fim de semana em São Paulo (25 e 26 de maio), a turnê passa por Florianópolis (21 de junho, na Arena Opus); Curitiba (22 de junho, na Live Curitiba); e Belém (28 de junho, no festival Ambienta).

Deixe seu comentário

Só para assinantes