Conteúdo publicado há 3 meses

O fenômeno 'Barbenheimer' e mais: a curadoria dos melhores filmes do ano

No último episódio do ano, o Plano Geral traz a retrospectiva dos filmes que conquistaram os nossos corações em 2023, entre as estreias nas salas de cinema no Brasil.

"Close", "Folhas de Outono", "Assassinos da Lua das Flores", "Monster", "Estranha Forma de Vida", "Beau Tem Medo" e muitos outros. Para o ranking, Thiago Stivaletti e Flavia Guerra receberam o convidado Vitor Búrigo.

Vitor pontuou que, quando pensou em sua lista, surgiram os consagrados, mas também quis destacar filmes não tão badalados. "Foi difícil, mas escolhi três que me pegaram pelo lado emocional. Meu primeiro é 'Close', do diretor Lucas Dhont, que esteve no Brasil para o Mix Brasil 2022."

Fazia muito tempo que não saia do cinema com a sensação que 'Close' me deixou. Fiquei mudo por um tempo porque há uma beleza na história dos dois meninos, da família, das descobertas. É um filme belíssimo, contado com muita delicadeza, coragem. Vitor Búrigo

"Afire"

O alemão "Afire", de Christian Petzold, está na lista dos melhores filmes de Vitor. Flavia e Thiago concordam e incluem o drama que tem pontos de comédia entre seus preferidos de 2023.

Thiago: "É um belo filme. O Petzold é um cara que sempre arrasa."

Flávia: "E seus filmes são sempre pequenos, com ares de simplicidade. "Afire" conta a história de dois amigos que vão passar o verão em uma casa de praiae acabem descobrindo que uma jovem também está morando na casa, que pertence à família de um deles. No entanto, é sobre muito mais, pois trata do processo de amadurecimento de um jovem autor que entende que tem de ter mais vivência e humildade para ser, de fato, um grande escritor e um grande homem."

O fenômeno "Barbenheimer"

Nos favoritos de Vitor, está o incontornável "Barbie". "É o filme sensação do ano. Adoro como o filme foi escrito, e como a Greta Gerwig dirige essa história. Não fazia ideia de como ia ser. Sentíamos que seria ou muito ruim, ou muito bom, mas quando vi que ela e o Noah Baumbach assumiram o roteiro, fiquei tranquilo."

Continua após a publicidade

Thiago completou que "Barbie" é um fenômeno tão forte que Greta Gerwig, a diretora, já foi escolhida como a presidente do Festival de Cannes 2024. "É de uma bela esperteza porque já é meio certo que ela vai levar o Oscar de Melhor Direção. Acho muito difícil tirarem o Oscar da Greta por tudo que o Vitor falou. Ela foi a primeira diretora à frente de uma bilheteria tão grande, com um filme que traz uma linguagem e com temática feminina. É um fenômeno de fato."

Flavia comentou que "Mulher Maravilha", de Patty Jenkins, já havia rompido barreiras, mas nada se compara a "Barbie". "É um filme que usa o meio, subverte este meio e trata de questões sérias com humor, cor, musical, em uma estética não realista. É marketing, é brinquedo, é cinema. Traz questões do feminismo para um grande público que, muitas vezes, não está tão letrado no movimento e teorias feministas. Por meio do pop, pontua questões muito cruciais. É um caso a ser estudado. Um sucesso impossível de não ser comentado."

"Oppenheimer", de Christopher Nolan, não poderia ficar de fora da lista dos grandes filmes do ano. Muito menos o fenômeno "Barbenheimer", que varreu os cinemas, as redes sociais e a mídia do ano, com o lançamento simultâneo de dois filmes muito diferentes, mas que mobilizaram o público de todo o mundo em torno não só dos longas, mas também das discussões que cada um provoca.

Particularmente estou bem feliz que 'Barbie', que já está na HBO MAX, tem mais indicações que 'Oppenheimer' nos diversos prêmios que já divulgaram seus finalistas, pois "Barbie" traz este frescor. O fenômeno "Barbenheimer" não pode ficar de fora da nossa lista. Foi uma loucura o lançamento e muito bom ver esta coisa de quase um Carnaval fora de época. Jovens, pessoas trans, o público feminino todo de rosa indo ver 'Barbie'. Thiago Stivaletti

"Este fenômeno de tanta gente se mobilizando para ir ao cinema, as camisetas, os grupos. Desde a pandemia a gente não tinha tido esta mobilização. Este é o grande ponto de 'Barbenheimer'", acrescentou Flavia. "Marketing a gente em geral tem como algo que derruba filmes maravilhosos, mas neste caso foi o contrário. Parecia inicialmente uma aposta muito arriscada dos dois estúdios que acabou dando muito certo. Um ajudou o outro, principalmente "Barbie" ajudando a alavancar o interesse por "Oppenheimer"", completou Thiago.

"Folhas de Outono"

Flavia Guerra pontuou que seu favorito do ano é o finlandês "Folhas de Outono", de Aki Kaurismaki. "Eu amei este filme. Acho que é a história que a gente estava querendo, precisando. É uma história de amor nada óbvia, com tempos desconcertados, com um humor muito peculiar. Como eu costumo falar quando comento este filme, é a comédia romântica menos romântica do ano."

Continua após a publicidade

O casal de protagonistas é tudo menos o estereótipo dos personagens das comédias românticas, pois são dois trabalhadores finlandeses, que enfrentam suas solidões em um mundo contemporâneo em que se vive em meio à solidão de grandes cidades (ouça a partir de 28 min.,) Flavia Guerra

"Monster"

Para Thiago, o favorito do ano foi "Monster", do japonês Hirokazu Kore-Eda. "Admiro muito o cinema dele, mas há anos não me pegava tanto. Ele sempre traz os dramas de família, mas em "Monster" está primoroso, pois ao contar a história dos dois meninos da história, vai crescendo em camadas nas três versões de uma mesma história. "De uma história de bullying, a história ganha novas dimensões. O elenco é fantástico." (ouça a partir de 57min.)

O segundo colocado da lista de Thiago também é um dos preferidos de Flavia: "Assassinos da Lua das Flores", do mestre Martin Scorsese. Ao inovar e contar a história de traição do povo indígena Osage pelos brancos da região de Oklahoma nos Estados Unicos do século passado, o diretor realizou, aos 80 anos, um dos filmes mais ousados e, ao mesmo tempo, clássicos do ano. Estrelado por Leonardo DiCaprio, Lilly Gladstone e Robert De Niro, o longa certamente estará na lista dos grandes indicados ao Oscar 2024 (ouça em 30 min.).

O quarto colocado entre seus preferidos do ano foi "Banshees de Inisherin", de Martin McDonagh, indicado a vários Oscars, incluindo o de melhor direção, melhor filme e melhor ator para Collin Farrell. (ouça em 48 min.).

Brasileiros

Entre os brasileiros, nossos favoritos foram "Pedágio", "Mussum", "Noites Alienígenas", "Pérola", "Mato Seco em Chamas", "Elis & Tom" e "Propriedade" (ouça a partir de 1:04:55).

Continua após a publicidade

No que chega aos cinemas em 2024, uma pequena listinha do que nos marcou nos festivais neste ano e que estreiam no próximo ano, como "Pobres Criaturas", vencedor do Festival de Veneza 2024, que promete levar mais de dez indicações ao Oscar 2024, além do brasileiro "O Dia que Te Conheci", o francês "Anatomia de uma Queda" e o inglês "Zona de Interesse" (ouça a partir de 1:28:14).

Despedidas

Thiago Stivaletti se despede do Plano Geral como apresentador fixo e em 2024 volta em episódios especiais. Vitor Búrigo assume essa deliciosa tarefa ao lado de Flavia Guerra.

Eu fiquei muito feliz com o convite, muito lisonjeado que vocês vieram conversar comigo. Deu medo na hora porque são duas pessoas que adoro, sou fã. Ocupar esse lugar é uma responsabilidade, claro, mas a gente vai chamar o Thiago sempre para participar de edições especiais. Vitor Búrigo

Em janeiro, após pausa para merecido descanso, o Plano Geral volta! Um Feliz Natal e um 2024 com muito cinema e séries para todos os nossos amigos.

Deixe seu comentário

Só para assinantes