Ratinho pode perder quase R$ 1 milhão em ações por dívida e danos morais

Ratinho, 67, pode perder quase R$ 1 milhão em três processos registrados no Tribunal de Justiça de São Paulo. O apresentador do SBT tem uma cobrança de dívida, além duas solicitação de indenização por danos morais.

O que aconteceu?

Splash teve acesso aos processos disponíveis no site do TJ-SP. Ratinho foi condenado em uma ação, enquanto outras duas seguem em curso.

Deputado estadual suplente de São Paulo cobra indenização de R$ 500 mil por danos morais. Agripino Magalhães (MDB) processa o apresentador alegando falas homofóbicas durante a exibição de programa do SBT.

No dia 22 de junho, Ratinho criticou a realização da Parada do Orgulho LGBT+ na Avenida Paulista. "Vai lá no sambódromo, lá você fica pelado, faz o que você quiser. Deixa a Avenida Paulista para as famílias, que querem ir lá brincar com as crianças. Faz a Parada Gay lá no diabo do sambódromo, que lá pode fazer o que vocês querem. Na minha opinião, a Parada Gay é o Carnaval dos viados e sapatões", disse o apresentador, conforme a ação.

Termos usados por ele foram censurados pelo programa. Causa foi distribuída em setembro deste ano e será analisada pela juíza Fernanda Augusta Jacó Monteiro, da 37ª Vara Cível, antes de ser julgada.

Dívida com médicos

Ratinho foi condenado a pagar R$ 21,6 mil para a empresa Felizoa e Bersottini Médicos Associados. A sentença foi assinada pelo juiz Sang Duk Kim no dia 30 de novembro deste ano.

Família do apresentador não honrou com pagamento de serviços médicos devidos e emitidos em nota fiscal, conforme a decisão. Equipe médica cuidou da mãe de Ratinho, Maria Talarico Massa, durante internação no Hospital Israelita Albert Einstein entre novembro e dezembro de 2019.

Ratinho alegou que arcou com o pagamento de mais de R$ 160 mil a título de serviços hospitalares e diagnósticos, além do pagamento no valor de R$ 187,8 mil para todo o corpo clínico indicado pelo médico responsável por uma cirurgia. Porém, empresa comprovou débitos pendentes na Justiça.

Continua após a publicidade

Apresentador ainda pode recorrer após decisão. Os réus, Ratinho e Maria Talarico, também foram condenados a arcar com o pagamento de despesas processuais e honorários advocatícios.

Processado por franqueado

Franqueado processou Ratinho e a empresa MCA Franquias Comércio de Produtos e Serviços Ltda., pedindo indenização de R$ 431,9 mil por danos morais. Apresentador venceu em primeira instância, mas o processo segue em grau de recurso.

Foram investidos R$ 152,5 mil entre 2013 e 2015 em ações relacionadas ao contrato, segundo franqueado. "Franqueadora deixou de adimplir sua parte, vez que não entregava produtos prometidos, nem quanto à quantidade, nem quanto à qualidade esperada", argumentou no processo.

Ratinho alegou "preliminar de ilegitimidade passiva", dizendo ser apenas um contratado da MCA para ceder imagem, sem vínculos com a empresa e sem participações em relações comerciais. O argumento foi aceito pela Justiça.

Processo será reavaliado nos próximos meses, conforme informações registradas no site do Tribunal de Justiça.

Continua após a publicidade

Splash entrou em contato com a assessoria de imprensa de Ratinho, que enviou a seguinte posição:

"O primeiro caso não temos conhecimento. Creio que o ratinho ainda não foi citado. O segundo caso saiu a sentença ontem. Já fizemos recurso e creio que temos boas chances de reforma. O Ratinho gastou quase R$ 300 mil no atendimento da mãe dele e desconhece esse médico. Esse terceiro processo desconhecemos, até hoje o Ratinho não perdeu nenhum processo envolvendo a Loja 6."

Errata:

o conteúdo foi alterado

  • Diferentemente do informado no texto original desta matéria, Maria Talarico Massa é mãe de Ratinho, e não esposa.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes