Conteúdo publicado há 2 meses

Naiara Azevedo diz que faturava R$ 7 milhões, mas só recebia R$ 1.000 do ex

Naiara Azevedo, 34 anos, em entrevista ao Fantástico (Globo), disse que faturava R$ 7 milhões no auge da carreira, mas só recebia R$ 1.000 do ex-marido, Rafael Cabral.

O que Naiara disse:

"Os dois primeiros anos de minha carreira, com maior faturamento, de 4, 5, 7 milhões, sabe quanto eu tirava por mês? Mil reais. Ele dizia: 'Para que você quer dinheiro, você tem tudo. Mil reais não dá pra você viver?'. Eu não tinha acesso a nada."

"Não queria ter chegado ao ponto de tá tendo essa entrevista, falando sobre esse assunto. Sempre fui muito discreta sobre minha vida pessoal", começou.

A cantora disse ter sofrido violência patrimonial do ex-marido. "Estava saindo de viagem, os funcionários foram pegar os equipamentos e foi dado uma ordem que a gente não poderia levar os equipamentos caso eu não pagasse a eles o aluguel por aquilo. Por que eu teria que pagar aluguel por algo que é meu?", e continuou: "Já tinha sofrido violência física, moral, psicológica. Mas a patrimonial foi meu gatilho, onde entendi que estava sendo impedida de trabalhar".

A reportagem exibiu imagens de hematomas, anexadas no processo. "É uma coisa muito difícil. Não julgo quem passa por uma situação abusiva. Passei por uma campanha de abuso contra a mulher e não podia falar pra ninguém. Podia, mas não tinha coragem", pontuou.

"Não quero uma gota de suor do trabalho do meu ex-marido. Só quero o que é meu. Ele merece os 50% dele e eu do meu. Só quero o que é meu. Quero clareza diante do meu trabalho, do meu suor", acrescentou.

Também na entrevista ao Fantástico, Rafael Cabral negou todas as acusações de Naiara. "Não entendi a denúncia, não entendi a narrativa. Fui pego de surpresa. Estou decepcionado com o ocorrido, não tinha necessidade disso".

O que aconteceu?

Segundo o Bom Dia GO (TV Anhanguera), Naiara teria denunciado o ex-marido Rafael Cabral, com quem ela foi casada de 2016 a 2021, na madrugada da última quinta-feira (30). Cabral ainda é empresário dela.

Continua após a publicidade

Segundo o matutino, a cantora registrou boletim de ocorrência por constrangimento ilegal, que ocorre quando uma pessoa constrange alguém com violência ou grave ameaça.

A artista já teria feito um BO contra o ex por agressão física e verbal em julho deste ano, mas eles seguiram próximos, por serem sócios da mesma empresa.

Ainda conforme o jornal, Cabral teria levado alguns equipamentos de show do escritório sem autorização de Naiara. A sertaneja afirmou ter recebido uma mensagem do empresário, dizendo que, se quisesse usar os equipamentos, teria que alugá-los. Ele ainda ameaçado "acabar com a carreira dela".

A assessoria de imprensa da artista também confirmou que ela esteve na delegacia. "Porém, não tem namorado. E o caso em questão está em segredo de justiça", responderam sucintamente. Naiara ainda não se posicionou nas redes sociais.

A assessoria de Naiara afirmou "ainda não ter informação" sobre como ficará o vínculo profissional com o ex-marido da cantora.

Splash entrou em contato com a defesa de Rafael Cabral, que disse não ter conhecimento da íntegra dos fatos. "Estamos apurando e levantando todas as questões, razão pela qual, no momento, não temos nada a declarar quanto a tal ponto".

Continua após a publicidade

Naiara Azevedo é famosa pelos hits "50 reais", "Palhaça", "Pegada que Desgrama", entre outros. Ela também participou do BBB 22 (TV Globo), em que foi a terceira eliminada.

Denuncie

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 180 e denuncie.

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares.

Também é possível realizar denúncias pelo número 180 — a Central de Atendimento à Mulher, que funciona em todo o país e no exterior, 24 horas por dia. A ligação é gratuita. O serviço recebe denúncias, dá orientação de especialistas e faz encaminhamento para serviços de proteção e auxílio psicológico. O contato também pode ser feito pelo WhatsApp no número (61) 99656-5008.

Continua após a publicidade

A denúncia também pode ser feita pelo Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

Há ainda o aplicativo Direitos Humanos Brasil e a página da Ouvidoria Nacional de Diretos Humanos (ONDH) do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). Vítimas de violência doméstica podem fazer a denúncia em até seis meses.

Caso esteja se sentindo em risco, a vítima pode solicitar uma medida protetiva de urgência.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes