PUBLICIDADE
Topo

Morre Paulinho Camafeu, compositor de 'Que Bloco é Esse?', aos 73 anos

Paulinho Camafeu era compositor de sucessos do axé - Reprodução/Globoplay
Paulinho Camafeu era compositor de sucessos do axé Imagem: Reprodução/Globoplay

De Splash, em São Paulo

30/11/2021 09h21Atualizada em 30/11/2021 09h31

O músico Paulinho Camafeu, um dos precursores do axé music, morreu ontem aos 73 anos em Salvador após ficar internado por problemas cardíacos, segundo informações da TV Bahia, afiliada da TV Gobo. Camafeu teve duas paradas cardíacas enquanto estava internado no Hospital do Subúrbio.

O compositor chegou a dar entrada em uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) no bairro do Pau Miúdo antes de ser levado ao hospital. No dia 23, ele sofreu um infarto e chegou a ser intubado.

O quadro de saúde dele era considerado grave. Paulinho tinha diabetes, chagou a amputar uma das pernas e realizava hemodiálise.

Segundo a TV Bahia, o velório e enterro deve ser hoje no Cemitério do Campo Santo, mesmo cemitério que está enterrado o pai de Paulinho Camafeu.

A Secretaria de Saúde da Bahia, uma das responsáveis pelo hospital, disse que "não divulga informações sobre pacientes internados em nossas unidades".

Paulinho Camafeu - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
Paulinho Camafeu
Imagem: Reprodução/Facebook

Paulinho Camafeu era dono de composições históricas como "Que Bloco É Esse" na voz do grupo Ilê Aiyê. A composição foi apresentada pelo bloco afro em 1975 — com cerca de 100 pessoas desfilando e desafiando a sociedade ao cantar sobre a negritude.

A música se tornou um hino do carnaval baiano e da cultura negra brasileira, sendo regravada pelo Ilê e por artistas como por Gilberto Gil, Daniela Mercury, Sandra de Sá e a banda O Rappa.

O compositor ainda fez a letra de "Fricote", cantada por Luiz Caldas e considerada o marco de início do axé music. Caldas afirmou recentemente que não tocaria mais a canção histórica pela sua letra com teor racista.

Camafeu também assina sucessos como "Menina do Cateretê", interpretada por Chiclete com Banana.

Artistas lamentaram a morte do compositor. Gilberto Gil, que gravou "Mundo negro" no álbum "Refavela" disse que perdeu o querido amigo que lhe deu o prazer de cantar a música imortalizada pelo Ilê.

Daniela Mercury chamou Camafeu de genial músico e compositor. "Ele era um dos grandes do axé. Fez tantas músicas maravilhosas para nós. Paulinho deixou um legado de luta e beleza", escreveu ela nas redes sociais.

Luiz Caldas desejou que Oxalá, o orixá criador do mundo, recebesse o parceiro "de tantos sucessos". O Ilê Aiyê agradeceu o músico.

A música baiana perdeu ontem um dos seus grandes compositores, o Ilê Aiyê perdeu o compositor de sua primeira música de sucesso. Em 2019 tivemos a honra de homenageá-lo em vida, com o tema do nosso carnaval. O grande Paulinho Camafeu vai fazer falta! Que o Orum o receba com muitas palmas, ele merece! Bloco Ilê Aye