PUBLICIDADE
Topo

Pequena Lo revela o que faria se a Globo a convidasse para o 'BBB 22'

Pequena Lo conta que não participaria do BBB - Divulgação
Pequena Lo conta que não participaria do BBB Imagem: Divulgação

Colaboração para Splash, em São Paulo

23/11/2021 18h37

Péssima notícia para quem gostaria de ver a Pequena Lo no BBB 22. A influencer contou ontem, durante uma live no Instagram com o apresentador Bruno De Luca, que não toparia um convite para participar do reality, mesmo sendo uma espectadora fiel.

"Eu sempre acompanho muito e vejo todos os dias. Adoro ver as pessoas que vão entrar. Mas eu ir acho que não. Já tive vontade antes de me tornar uma pessoa pública, hoje em dia é mais difícil. As pessoas assistem e ficam torcendo por um deslize pra detonar com as pessoas"

Na live, onde o apresentador tem o quadro 'Vinho com De Luca', a Pequena Lo falou também sobre acessibilidade, representatividade e a vida na internet. Inclusive, a musa do Instagram, que conta com mais de 4 milhões de seguidores atualmente, contou sobre a sua carreira como psicóloga, como iniciou a sua vida como influencer e o que planeja para o futuro.

"Eu me formei em psicologia então, para mim o humor seria um segundo um trabalho e não se tornaria a minha primeira função. Hoje em dia eu não tenho nem tempo de atender os pacientes. Eu só percebi que a internet era realmente o caminho que eu queria seguir, no começo da pandemia quando eu realmente consegui me identificar mais e percebi que era um momento propício para levar humor para as pessoas"

Questionada se estaria dividida entre às duas profissões, a influenciadora falou que ainda utiliza muito do que aprendeu na sala de aula na criação dos seus conteúdos.

"Mesmo eu não atuando no consultório, eu uso a psicologia todos os dias: seja para gravar, criar os roteiros dos meus vídeos ou para me comunicar com as pessoas que me seguem. Eu não deixei a minha profissão mesmo sem atuar no consultório"

Já sobre a representatividade que exerce na internet, Lo falou que acredita que só dela estar nesse espaço de exposição "já é uma baita representatividade para pessoas portadoras de deficiência", finalizou.