PUBLICIDADE
Topo

O que sabemos até agora sobre o acidente que matou Marília e mais 4 pessoas

De Splash, em São Paulo

06/11/2021 11h08Atualizada em 06/11/2021 13h44

A cantora Marília Mendonça, o piloto, Geraldo Martins de Medeiros, o copiloto Tarciso Pessoa Viana, o produtor Henrique Bahia, e o assessor Abiceli Silveira Dias Filho morreram na queda de um avião em Piedade de Caratinga (MG), a 309 km de Belo Horizonte.

O acidente, que aconteceu por volta das 15h30 de ontem, é investigado pelo Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos).

Veja a seguir o que já sabemos sobre o acidente que matou a cantora e outras quatro pessoas:

Quem estava no avião

  • Marília Mendonça, cantora
  • Abiceli Silveira Dias Filho (Silveira Dias), tio e assessor da cantora
  • Henrique Bonfim Ribeiro (Henrique Bahia), produtor da cantora
  • Tarciso Pessoa Viana, copiloto do avião
  • Geraldo Martins de Medeiros, piloto do avião

Causas do acidente

O avião estava a 2 km do aeroporto onde iria pousar quando caiu.

A aeronave atingiu o cabo de uma torre de distribuição de energia elétrica antes de cair em um curso d'água de Piedade de Caratinga (MG). A informação é da Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais), que administra o fornecimento de eletricidade na região.

Após o acidente, cerca de 33 mil pessoas, que dependem da Linha de Distribuição (LD) Caratinga 1, ficaram sem energia.

Investigações

Investigadores do SERIPA-2, órgão regional do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) no Rio de Janeiro, já estão no local do acidente para identificar indícios, fotografar a cena e retirar partes da aeronave para análise. Integrantes da Polícia Civil também participam da perícia.

Os trabalhos ainda são acompanhados de perto pelos advogados de Marília Mendonça, que estão no local. O trabalho segue ao longo do dia de hoje e dos próximos dias.

Uma nota da Força Aérea Brasileira, responsável pelo setor, deixou claro que "não existe tempo previsto" para que essas informações sejam coletadas, já que dependem da complexidade da ocorrência. O avião caiu em um local de difícil acesso.

Local era perigoso para aviões

Após o acidente, foi descoberto que dois pilotos já haviam feito notificações no sistema oficial da Aeronáutica, nos últimos três meses, alertando sobre os riscos de antena e torre de energia, sem iluminação, próximo ao aeródromo de Caratinga (MG).

Os relatos oficiais constam no sistema público do DECEA (Departamento de Controle Espaço Aéreo), da Aeronáutica. As notificações citam um obstáculo (antena). Para isso, ambos usa os termos "NEG LGTD", que quer dizer um objeto de forma não autorizada e não iluminada.

O trajeto

O avião saiu de Goiânia com destino ao aeroporto de Caratinga (MG), onde Marília Mendonça faria um show para 8.000 pessoas. Ela estava com seu produtor e com seu tio e assessor. O restante da banda fez o trajeto de ônibus e já aguardava pela cantora na cidade.

O modelo da aeronave

A PEC Aviação, empresa que faz transporte regular de passageiros por táxi aéreo, confirmou ser dona da aeronave que caiu com Marília Mendonça.

Fabricado em 1984, o modelo C90A da Beech Aircraft tem capacidade para seis passageiros e estava em situação regular, segundo a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). O modelo pode custar até R$ 10 milhões.