PUBLICIDADE
Topo

Spoilers: parte 5 derruba uma das maiores teorias sobre 'La Casa de Papel'

Renata Nogueira

De Splash, em São Paulo

03/09/2021 13h23Atualizada em 03/09/2021 19h25

A temporada 5 de "La Casa de Papel" chegou hoje à Netflix com seus primeiros cinco episódios e promete um final apoteótico em 3 de dezembro, quando estreiam os outros cinco.

Só com essa primeira leva dos episódios já cai por terra uma teoria bem forte que era sustentada por fãs da série do mundo todo desde a terceira temporada.

Atenção: esse texto contém spoilers pesados dos cinco primeiros episódios da nova temporada. Pare aqui se não quiser saber o que acontece.

Spoiler - Arte UOL - Arte UOL
Alerta de Spoiler Splash
Imagem: Arte UOL

A morte de Tóquio (Úrsula Corberó)! Sim. A cena é guardada para os minutos finais do quinto episódio e não restam dúvidas de que ela não sobreviveu. Diferentemente de outros personagens que estão em situação gravíssima, mas ainda não há como saber se morreram definitivamente.

Narradora da série desde a primeira temporada, Tóquio foi a grande protagonista feminina de "La Casa de Papel" e abandona o barco no meio da última temporada. A teoria que circulava entre os fãs desde o final da terceira temporada é a de que Tóquio seria a única sobrevivente do assalto e estaria narrando a história da prisão.

Mas não foi bem assim...

O episódio 5 é praticamente todo dedicado a ela, com muitos flashbacks com o primeiro namorado, antes de entrar para o bando do Professor (Álvaro Morte), e também do início do relacionamento dela com o segundo amor de sua vida, Rio (Miguel Herrán).

A cena de despedida dos dois é comovente. É com Rio que Tóquio vive seus últimos segundos de vida e, feliz, deseja que ele comece a partir de agora uma nova história.

Antes de morrer, Tóquio ainda vinga a morte de sua melhor amiga, Nairóbi (Alba Flores), executando Gandía (José Manuel Poga), que a assassinou com um tiro na cabeça na temporada passada.

Como foi a morte?

Tóquio está encurralada com Denver (Jaime Lorente) e Manila (Belén Cuesta) na cozinha do Banco da Espanha. Eles estão fugindo de soldados do exército, que já invadiram o banco e tentam acabar com os assaltantes.

Para se proteger, eles conseguem mover o pesado tampo de ferro do fogão industrial para a porta e ganham algum tempo. Mas, quando do lado de fora o comando recebe a localização deles, atiradores de elite conseguem atingir Tóquio pela janela.

Ela toma cinco tiros e, ainda que bem ferida nos braços e nas pernas, sobrevive, já que estava com colete à prova de balas. Porém, nesse meio tempo, o exército consegue destruir uma das paredes com explosivo e entra na cozinha.

Manila e Denver fogem pelo elevador de comida que vai até o escritório do governador, onde está Estocolmo (Esther Acebo), que deu a dica do elevador por rádio para eles. Já muito ferida, Tóquio prefere ficar e combater o exército sozinha. Ela se protege atrás de uma barricada montada por Denver, mas não consegue escapar.

Rio ainda tenta salvá-la depois de cavar um buraco no teto de um ambiente do andar de baixo que dá acesso à cozinha, mas o tamanho não é suficiente para a amada passar, apenas para eles se despedirem definitivamente antes de Tóquio ser alvejada pela segunda vez.

Quando Gandía chega para o tiro de misericórdia, mirando a cabeça de Tóquio, ela usa seu último artifício. Ativa explosivos que estavam amarrados ao colete dela, matando Gandía junto.

Como Gandía se juntou ao exército?

Logo no início da quinta temporada, Gandía é um dos reféns liberados como estratégia para que eles ganhassem mais tempo dentro do banco. Isso só acontece quando Lisboa, a ex-inspetora Raquel Murillo (Itziar Ituño), se dá conta que a polícia não sabe que o Professor está sob a mira da nova inspetora, Alícia Sierra (Najwa Nimri).

Ainda que bastante ferido, o chefe de segurança do Banco da Espanha é atendido por médicos do lado de fora e passa a colaborar com a polícia, dando todos os segredos e acessos ao banco. Ele também é escalado para entrar no local com o exército, composto por soldados que lutaram em guerras.

Alícia dá à luz

A virada com uma personagem feminina que o criador e o diretor de "La Casa de Papel" prometeram antes da estreia da temporada realmente acontece. Alícia Sierra parece irredutível em entregar o Professor e livrar sua própria barra com a polícia e o departamento de investigações da Espanha.

Na reta final da gravidez, a inspetora só não esperava que sua bolsa fosse romper naquela situação caótica. Depois de dominar o professor, Marselha (Luka Peros) e outro ajudante, Sierra tenta dar à luz sozinha. O Professor observa que o bebê dela está sentado, e não resta opção a não ser soltá-lo para ajudá-la com o parto.

Com a ajuda de seus reféns, Sierra dá à luz uma saudável menina, que ganha o nome de Victória. A partir daí, e com a polícia criando provas falsas para incriminá-la, parece que o Professor ganha mais uma aliada (ou melhor, duas) do lado de fora do banco.

Arturo cada vez mais insuportável

Arturo (Enrique Arce) continua presente na temporada 5 e, mais uma vez, tenta um plano infalível, que claro, é uma furada. O ex-refém da Casa da Moeda que dá um jeito de virar refém de novo no Banco da Espanha tem a chance de sair do edifício como escudo humano junto com outros reféns no momento que Raquel, Tóquio e Estocolmo negociam a liberação de Gandía.

Ele combina com outro refém, o governador do banco da Espanha, de se armar enquanto os bandidos estão distraídos. Por incrível que parece essa primeira parte dá certo e os reféns escapam dos bandidos se refugiando justamente onde o bando guardava munições. A partir daí Arturo começa um jogo psicológico com Denver e Estocolmo.

O ex-diretor da Casa da Moeda e atual coach fala sobre o romance tórrido dele com a ex-secretária e a gravidez. Mônica, agora Estocolomo, teve o filho quando já estava envolvida com Denver e o assaltante criou a criança como pai. Sem suportar o discurso, Mônica consegue acessar o lugar em que Arturo está pela tubulação de ar e atira nele.

Arrependida imediatamente, ela tenta ressuscitar o pai biológico do filho, com medo que Cincinatti (Luca Anton) fique sem família nenhuma, mas Arturo é levado para fora do banco em estado bastante crítico.

Novo romance?

Outro novo romance que ainda pode acontecer é o de Denver com sua prima Julia, a Manila. Durante uma das situações mais tensas, ela resolve se declarar para Denver com medo de morrer sem ter falado isso. Ela diz que sempre foi apaixonada pelo primo e ficou decepcionada quando o viu com Estocolmo e um filho.

Em contrapartida, Denver esclarece que é muito apaixonado por Estocolmo e que não vai abandonar a mulher, ainda que o relacionamento deles esteja abalado. Com Estocolmo sofrendo alucinações por causa dos tiros em Arturo, esse jogo ainda pode virar.

Próximas vítimas

Helsinki (Darko Peric) pode ser a próxima vítima dos roteiristas de "La Casa de Papel" nos cinco episódios que ainda restam e só chegam em dezembro.

O parceiro de Nairóbi é atingido por escombros no momento em que o Exército explode uma parte do teto do Banco da Espanha e fica com sua perna esmagada embaixo de uma escultura de mármore de duas toneladas.

Com muito esforço de Palermo (Rodrigo De la Serna) e Rio, os companheiros conseguem tirá-lo de lá, mas sua situação é bastante grave. Estocolmo fica responsável por fazer curativos e administrar medicação, mas deixa de cuidar de Helsinki por estar atormentada com visões de Arturo, que ela acredita ter matado.

Bônus: Nairóbi em flashback

Para quem estava sentindo saudades de Nairóbi, que morreu na quarta temporada, a personagem de Alba Flores aparece em flashback no quarto episódio em uma cena com Tóquio, ainda no acampamento pré-invasão ao Banco da Espanha. Elas têm uma bonita conversa sobre vida após a morte que já premedita o que acontecerá com Tóquio no episódio seguinte.

Nairóbi também é lembrada nominalmente pelos amigos que tentam vingar a morte dela, como Bogotá (Hovik Keuchkerian) e Helsinki. Mas, no fim, o papel fica com sua melhor amiga, Tóquio, em um desfecho triste, mas satisfatório.