PUBLICIDADE
Topo

Porta dos Fundos

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Milionários também são uma minoria e merecem respeito

Quem nessa foto entende menos de rap? Exatamente, não temos como saber - Divulgação
Quem nessa foto entende menos de rap? Exatamente, não temos como saber Imagem: Divulgação
Porta dos Fundos

Textos semanais escritos pelos roteiristas do canal de humor Porta dos Fundos, responsáveis por mais palavrões ditos por famosos que a coluna do Léo Dias. "Roteiristas são como duendes: ninguém nunca os vê, mas fazem coisas mágicas por um prato de comida" (antigo provérbio chinês)

Colunista do UOL*

14/04/2022 11h00

Ano de eleições, povo nas ruas, e nós precisamos dar voz a aqueles que não têm como falar. Chegou a hora do basta! Um basta às coisas que estão erradas, um basta à hipocrisia, um basta ao preço do cabernet sauvignon, e um basta ao camarote com preço menor que 250 reais! Eu sei, eu sei? Vocês podem me achar radical demais, mas isso é necessário. Nós temos que dar voz às minorias, as verdadeiras minorias, que são caladas e sofrem preconceito até hoje. É isso mesmo, temos que lutar pelos direitos dos ricos e milionários.

Um pouco mais de 1% da população brasileira é milionária, e eles sofrem preconceito por isso desde a época que a primeira pessoa da família adquiriu um terreno, de forma lícita ou não. A verdadeira minoria tem problemas e passa por dificuldades, que são ignoradas há anos, e hoje, nesta coluna, eu vim dar voz a essa minoria.

Quantas vezes você já viu um milionário chorando? Você sabe a dor que é morar sozinho em um apartamento de oito quartos? Limpar oito banheiros? Ok, isso eles não fazem. Mas precisamos falar sobre a solidão do homem rico. Em qualquer lugar que você chegue e fale que ganha mais de 350 salários mínimos, as pessoas te olham com indiferença e desdém. Já te excluem da rodinha de conversa, puxam assuntos sobre coisas que você não entende, como Vale-Refeição, transporte público e boletos, e não deixam você sequer pedir uma lagosta sem que te julguem.

Sabem quantos milionários estão nas faculdades públicas? Nenhum! São forçados a estudar fora. Cadê a cota para milionários? Sabe quantos milionários estão no mundo do crime? Um monte! Porque a maioria é corrupta ou contraventor, mas isso não vem ao caso.

Milionários também têm sentimento e também têm coração. Eles não querem tratamento especial e muito menos sua pena, eles só querem ser aceitos. Eles querem andar de Ferrari sem serem perturbados, querem usar sapatênis sem receber olhares estranhos, querem pagar mais de vinte mil reais em bolsas cafonas da Dior sem julgamentos!

Para encabeçar nosso movimentos, queremos chamar os principais milionários do Brasil, como Chiquinho Scarpa, Val Marchiori e Roberto Justus, e organizar um grande "We Are The World" regado a muita champanhe e caviar para conscientizar a população. E como início da nossa crítica social, fiquem com essa esquete do Porta dos Fundos, mostrando as dores de quem tem seu talento questionado só porque paga o IPVA de sete carros diferentes.

Ricos também amam, ricos também sentem, e o dinheiro não traz felicidade? Não muita. Chega de preconceito com ricos. O Brasil é um país das minorias — as ricas.

Uma campanha Havan e Dolce & Gabbana. Eu apoio.

*Matheus MAD é roteirista do Porta dos Fundos, humorista e pobre. No Instagram: @omatheusmad