PUBLICIDADE
Topo

Pedro Antunes

Iron Maiden cria distopia com cavaleiros do apocalipse do bem. Quem diria?

Não tema, humanidade! Eddie está aqui para nos salvar  - Montagem: Pedro Antunes
Não tema, humanidade! Eddie está aqui para nos salvar Imagem: Montagem: Pedro Antunes
Conteúdo exclusivo para assinantes
Pedro Antunes

Pedro Antunes, ou "Pô Antunes" pra quem só me conhece pelo Instagram, é jornalista, apresentador, curador e crítico de música e cultura pop desde 2010. Escreveu no Jornal da Tarde, Estadão e foi editor-chefe da Rolling Stone Brasil. Fez mais entrevistas do se lembra, tem um "novo disco favorito" por semana e faz mini-análises de álbuns no programa Tem um Gato na Minha Vitrola, no perfil @poantunes.

Colunista do UOL

15/07/2021 16h43

Sem tempo?

  • Seis anos depois, Iron Maiden lança uma nova música.
  • A inédita The Writing on the Wall vem acompanhada de um vídeo de sete minutos de duração.
  • Nele, são várias referências bíblicas e sobre um futuro sombrio da humanidade.

Na primeira cena, um homem vestido com uma camiseta rasgada do Iron Maiden definha até a morte.

Estamos em um cenário desértico, como se fosse tirado de uma cena dos filmes "Mad Max". Nele, líderes gananciosos e pessoas comuns seguem em direção ao tal "Belshazzar's Feast" - uma referência bíblica à conhecida como Festa de Belsazar - em busca de salvação.

Em meio a isso, motoqueiros com rostos escondidos cruzam o deserto.

Eis que, depois de seis anos sem uma música nova, o Iron Maiden entregou "The Writing on the Wall".

E o single, lançado hoje após algumas ações de marketing em torno do "Belshazzar's Feast", vem acompanhado da animação cujas cenas foram narradas acima e pode ser assistido a seguir.

Uma sugestão de amigo: ouça a música em alguma plataforma de música por streaming, não somente no YouTube, porque a mix usada para o vídeo soa muito inferior.

A nova música da Donzela de Ferro é assinada por Adrian Smith e Bruce Dickinson, guitarrista e vocalista do Iron Maiden, respectivamente. A produção é de Kevin Shirley, que trabalha próximo do Maiden desde "Brave New World", de 2000 (embora conste nos créditos de uma versão relançada em 1990 do clássico "The Trooper", junto de "Flight Of Icarus", de acordo com o site All Music). Steve Harris, o baixista do grupo, assina a coprodução.

A animação de sete minutos de duração é fruto da colaboração da banda com Mark Andrews e Andrew Gordon, dois ex-executivos da Pixar que trabalharam em filmes com "Os Incríveis", e com o estúdio BlinkInk.

O resultado apresenta uma distopia que está a um desastre de se tornar real. A ideia do vídeo, vinda de Dickinson, narra o tal banquete. Líderes autoritários reais de diferentes partes do mundo são exibidos ali.

Aliás, se alguém achar uma representação de Bolsonaro no clipe, por favor, me avise.

O vídeo ainda apresenta uma nova versão do Eddie, personagem do Iron Maiden, com armaduras e espada capaz de disparar chamas azuis. Isso vai ser incrível se representado nos palcos (quando voltarmos a assistir shows da Donzela, é claro).

São muitas as referências bíblicas ali, desde a maçã do pecado ao casal que, pelo visto, serão os novos Adão e Eva, aos cavaleiros do apocalipse "do bem".

Neste caso, o quarteto de senhores responsável por trazer pragas e acabar com a humanidade nos escritos bíblicos "salva" a gente dos políticos poderosos que sugam a civilização até o fim.

Seria essa a saída?