Página Cinco

Página Cinco

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
Opinião

Para mexer com o saudosismo: O Mundo de Sofia em Quadrinhos

Publicado no original em 1991, "O Mundo de Sofia", do norueguês Jostein Gaarder, transformou-se num sucesso tão estrondoso quanto improvável. Com um livro definido como um romance da história da filosofia, o autor percebeu que havia gente pra caramba no mundo interessada em aprender algo sobre o assunto por meio de uma narrativa esquemática e bastante didática.

Traduzido para mais de 60 idiomas, "O Mundo de Sofia" chegou no Brasil em 1995 pela Companhia das Letras, vertido por Leonardo Pinto Silva. Também virou um best-seller por aqui, onde vendeu mais de 1 milhão de exemplares. Algo na minha memória alcança a febre com a publicação do livro no país.

Da minha leitura, bastante jovem, guardo mais o carinho por aquele exemplar de capa azul e a vontade de compreender como ideias e grandes dúvidas da humanidade foram tratadas ao longo do tempo. Recordo ainda de ter engatado "O Dia do Curinga" logo na sequência e de ter gostado até mais deste. Minha mãe também preferiu o segundo, creio.

Em "O Mundo de Sofia", uma garota começa a receber mensagens e cartões-postais um tanto estranhos quando está prestes a completar 15 anos. Quem é você? Quem somos nós? De onde vem o mundo? Por que vivemos? Qual é a origem de tudo isso daqui? São algumas perguntas que surgem logo no início da saga fantástica que a garota atravessará para entrar em contato com parte importante da filosofia ocidental.

Trago essas lembranças do best-seller de décadas passadas porque acaba de chegar às livrarias uma HQ baseada no livro de Jostein Gaarder. "O Mundo de Sofia em Quadrinhos - Uma História da Filosofia" tem roteiro do belga Vincent Zabus e desenhos do francês Nicoby. Saiu aqui no Brasil pela Seguinte, com tradução de Julia da Rosa Simões.

O que temos nessa primeira parte de um trabalho dividido em dois volumes é a caminhada de Sofia pelos conhecimentos de Sócrates a Galileu. Entre o ateniense que viveu alguns séculos antes da Era Comum e o italiano morto em 1642, o leitor conhece a importância da mitologia, passeia pelas ideias de intelectuais como Aristóteles, Averróis (ou Ibn Rushd, em seu nome árabe) e Santo Agostinho e tem contato com um pouco do que rolou em épocas como o Helenismo e o Renascimento.

"O Mundo de Sofia em Quadrinhos" é uma novidade que chega com certo ar de saudosismo, pelo menos para quem sempre se interessou pelo conhecimento e já passou dos 30 e tantos.

Assine a Newsletter da Página Cinco no Substack.

Você pode me acompanhar também pelas redes sociais: Twitter, Instagram, YouTube e Spotify.

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes