PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Censura ou apelo por audiência? TV Cultura explica xingamento em programa

No episódio mais recente de "Manhattan Connection", o apresentador Diogo Mainardi xingou o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, convidado do programa - Divulgação
No episódio mais recente de "Manhattan Connection", o apresentador Diogo Mainardi xingou o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, convidado do programa Imagem: Divulgação
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

29/04/2021 13h39Atualizada em 29/04/2021 15h31

Como ocorreu na estreia do "Manhattan Connection" na TV Cultura, há pouco mais de dois meses, o principal destaque do programa desta quarta-feira (28) foi a grosseria de um entrevistador com um convidado.

Em fevereiro, o ponto mais baixo - e comentado - do programa foi a ofensa de Diogo Mainardi a Fernando Haddad. O apresentador se referiu ao ex-ministro e ex-prefeito de São Paulo como "poste de ladrão" e "imbecil". A TV Cultura usou o vídeo deste trecho na promoção da atração.

No finzinho do programa desta semana, Mainardi xingou o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay. O palavrão foi coberto por um bip sonoro, mas é possível entender o que ele disse.

A inclusão do ruído sobre a fala de Mainardi deixa claro que o programa não é ao vivo. Passa por algum processo de edição antes de ir ao ar.

Quem editou viu necessidade de evitar que as palavras do xingamento fossem ouvidas, mas avaliou que era importante deixar registrado que o apresentador xingou o convidado. Por quê?

Em nota enviada à coluna, o canal público, mantido pelo estado de São Paulo, afirmou: "A TV Cultura não censura seus programas, apresentadores e entrevistados. Neste caso do 'Manhattan Connection', o jornalismo optou por cobrir o palavrão com sinal eletrônico."

A inclusão do sinal eletrônico não deixa de ser uma forma de censura. A manutenção do trecho, na minha opinião, indica o desejo de chamar a atenção para o programa. Parece mais um gesto desesperado da TV Cultura por audiência do que qualquer outra coisa.

A Cultura também informou que "não concorda com o ocorrido e já tomou providências junto à empresa produtora do Manhattan Connection", mas não detalhou, apesar do pedido da coluna, que "providências" foram estas.

Veja o programa:

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL