PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Fefito

SBT e Globo estudam futuro do 'Teleton' e do 'Criança Esperança' deste ano

Silvio Santos é ausência dada como certa no caso de realização do "Teleton" - Reprodução
Silvio Santos é ausência dada como certa no caso de realização do "Teleton" Imagem: Reprodução
Fefito

Fernando Oliveira, conhecido como Fefito, é formado em jornalismo e pós-graduado em direção editorial. Teve passagens pela IstoÉ Gente, Diário de S. Paulo, iG, R7. Atuou como apresentador do Estação Plural, da TV Brasil, Mulheres, da TV Gazeta, e Morning Show, da Jovem Pan.

Colunista do UOL

03/08/2020 12h32

Resumo da notícia

  • Maratonas beneficentes ainda são dúvida na programação das emissoras
  • SBT só baterá o martelo sobre o "Teleton" em setembro, mas quer levá-lo ao ar
  • Já a Globo estuda maneiras de celebrar os 35 anos do "Criança Esperança"

Por causa da pandemia, Globo e SBT estudam como será o futuro de suas maratonas beneficentes. "Criança Esperança" e "Teleton" ainda não tiveram suas edições deste ano confirmadas pelas emissoras por questões de segurança.

No caso do SBT, que reúne artistas ao longo de 24 horas de programação, a dificuldade é fazer isso sem causar aglomerações. A emissora deixou para setembro a decisão sobre realizar ou não o "Teleton". Procurada, a assessoria de imprensa do canal confirma a informação, mas afirma que a intenção é tentar colocar o projeto no ar.

Ou seja: a emissora tentará entender como realizar a maratona beneficente em novo formato. Uma definição, no entanto, já existe nos bastidores: ainda que o "Teleton" vá ao ar, ele não deverá contar com a presença de Silvio Santos, que está cumprindo isolamento social em casa.

Já na Globo a situação não é muito diferente. O "Criança Esperança" completa 35 anos neste mês e comemorações vinham sendo pensadas. A ideia inicial de reunir grandes nomes da MPB para um grande show, no entanto, caiu por terra por causa do veto a aglomerações.

A emissora estuda agora fazer uma grande live até o final do ano para celebrar o evento e, até lá, contar com o apoio do jornalismo para contar histórias de projetos sociais apoiados pelas doações dos espectadores.

Procurada, a Globo não respondeu até o fechamento desta nota.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL