PUBLICIDADE
Topo

Tem filhos pequenos? Quer ver filmes e séries dublados? Tente a Oldflix

Elenco original de "Perdidos No Espaço", de 1965; seriado é exibido pela plataforma Oldflix - Reprodução
Elenco original de "Perdidos No Espaço", de 1965; seriado é exibido pela plataforma Oldflix Imagem: Reprodução
André Barcinski

André Barcinski é jornalista, roteirista e diretor de TV. É crítico de cinema e música da ?Folha de S. Paulo?. Escreveu sete livros, incluindo ?Barulho? (1992), vencedor do prêmio Jabuti de melhor reportagem. Roteirizou a série de TV ?Zé do Caixão? (2015), do canal Space, e dirigiu o documentário ?Maldito? (2001), sobre o cineasta José Mojica Marins, vencedor do Prêmio do Júri do Festival de Sundance (EUA). Em 2019, dirigiu a série documental ?História Secreta do Pop Brasileiro?.

Colunista do UOL

29/09/2020 06h00

Assistir filmes em família é uma delícia, mas dá trabalho, especialmente se você tiver filhos pequenos. O que escolher? Que filmes ou séries são capazes de agradar a pessoas dos 8 aos 52 (ou 80, se os avós estiverem visitando)?

Uma boa sugestão é ver comédias mudas clássicas. Temos caixas de DVDs de Buster Keaton e Charles Chaplin, e não é difícil achar filmes de Harold Lloyd. A molecada ama.

Outra coisa que sempre funciona são filmes clássicos de terror dos anos 30, como "Drácula" com Bela Lugosi ou "Frankenstein" com Boris Karloff. Aterrorizantes em seu tempo, hoje mais divertem que assustam.

Mas há sempre o problema das legendas. Nosso filho mais novo lê bastante, mas ainda tem dificuldade em acompanhar filmes com legendas muito longas e rápidas.

Parafraseando o "Casseta e Planeta", nossos problemas acabaram com a descoberta do Oldflix, uma plataforma de streaming especializada em filmes antigos e que conta com uma boa seleção de filmes dublados. A mensalidade custa R$ 12,90.

Outro dia revimos um clássico da "Sessão da Tarde": "As Aventuras de Robin Hood" (1937), com Errol Flynn e Olivia De Havilland. Sucesso total. No dia seguinte, foi a vez de "Labirinto" (1986), com David Bowie. Outro hit.

A seleção de faroestes é boa, e bangue-bangues antigos, mesmo que tenham sido feito para públicos mais velhos, hoje não chocam mais ninguém. Vimos no Oldflix "O Dólar Furado" (1965), com Giuliano Gemma, e "Trinity é Meu Nome" (1970), comédia com a dupla Terence Hill e Bud Spencer (que vi no saudoso Cine Guarabu, na Ilha do Governador, Rio de Janeiro).

Agora, onde o bicho pega mesmo é na seleção de séries. Assistir a "Agente 86", a antológica comédia criada pelos gênios Mel Brooks e Buck Henry, dublada em português, não tem preço. As aventuras de Maxwell Smart e da Agente 99 continuam engraçadas demais. Nossos filhos amaram o "Sapatofone" e o "Cone do Silêncio".

Outras séries muito boas - e dubladas - para ver com os filhos: "Kung Fu", "Terra de Gigantes", "Perdidos no Espaço" e "A Feiticeira". A Oldflix oferece ainda "Além da Imaginação", "Jeannie é um Gênio" e "Shogun", mas apenas em versões legendadas.

O maior problema do Oldflix são a qualidade das cópias de alguns filmes. Desistimos no meio de "O Homem Que Queria Ser Rei", de John Huston, porque o som estava inaudível. E só vimos "Trinity" até o fim porque os filhos exigiram, já que a cópia parecia ter sido gravada de um VHS.

Uma ótima semana a todos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.