PUBLICIDADE
Topo

Egito além das pirâmides: país oferece praia, balada e até roteiro bíblico

Mesquita Al Mina desde o Mercado de Peixes de Hurghada: exemplo de atração no Egito além das Pirâmides - Victor Caselli/UOL
Mesquita Al Mina desde o Mercado de Peixes de Hurghada: exemplo de atração no Egito além das Pirâmides
Imagem: Victor Caselli/UOL

Victor Caselli

Colaboração para Nossa

25/01/2022 04h00

Ir ao Egito e não conhecer as pirâmides pode ser tratado como um insulto aos faraós. Ao lado de Miquerinos e Quéfren, a pirâmide de Quéops — também conhecida como a Grande Pirâmide de Gizé — é o principal ponto turístico do país e uma das 7 Maravilhas do Mundo Antigo.

Mas engana-se quem pensa que o país se resume a ver estes famosos monumentos. Já é sabido que o país é riquíssimo em história e cultura, entretanto há muito mais a ser explorado além do Cairo e do deserto. Então, quais outras cidades do Egito merecem a visita?

Luxor

A cidade de Luxor, antigamente conhecida como Tebas, também é um destino bastante famoso para quem visita o país do norte da África. A mais de 500 quilômetros de distância do Cairo, os melhores meios de se chegar a Luxor partindo da capital egípcia são trem e avião.

Templo de Hatshepsut, no lado oeste de Luxor - Victor Caselli/UOL - Victor Caselli/UOL
Templo de Hatshepsut, no lado oeste de Luxor
Imagem: Victor Caselli/UOL
Templo de Karnak, a maior atração de Luxor - Victor Caselli/UOL - Victor Caselli/UOL
Templo de Karnak, a maior atração de Luxor
Imagem: Victor Caselli/UOL

Lá estão situados dois grandes templos: Karnak — considerado o maior templo do Egito — e Luxor, além do Vale dos Reis (onde está a tumba de Tutankhamon), o Vale das Rainhas e o Templo de Hatshepsut, uma das únicas mulheres faraós do Egito Antigo.

Entrada da tumba de Tutankhamon - Victor Caselli/UOL - Victor Caselli/UOL
Entrada da tumba de Tutankhamon
Imagem: Victor Caselli/UOL
Tumba de Tutankhamon - Victor Caselli/UOL - Victor Caselli/UOL
Tumba de Tutankhamon
Imagem: Victor Caselli/UOL

Dividida em West Bank e East Bank — as partes oeste e leste do rio Nilo —, a cidade pode ser explorada de táxi, economizando tempo entre as viagens para as atrações que estão em ambos os lados.

Fim de tarde em Luxor - Victor Caselli/UOL - Victor Caselli/UOL
Fim de tarde em Luxor
Imagem: Victor Caselli/UOL

Há outros dois passeios interessantes em Luxor: andar balão logo nas primeiras horas do dia para ver o nascer do sol e fazer um cruzeiro pelo Nilo, que segue até a próxima cidade do roteiro: Aswan.

Aswan

Localizada no sul do Egito, a cidade é cortada pelo rio Nilo. Um dos principais passeios é navegar pelo rio em uma felucca — um barco a vela parecido com a jangada — durante o pôr do sol.

 Sol se pondo no rio Nilo em Aswan - Victor Caselli/UOL - Victor Caselli/UOL
Sol se pondo no rio Nilo em Aswan
Imagem: Victor Caselli/UOL

E também é possível nadar no histórico rio! Pouca gente sabe (ou tem coragem), mas se você perguntar para o piloto do barquinho, ele poderá te levar a um local ideal para se refrescar. Sem dúvidas, além de ser um passeio muito bonito, poder entrar no rio Nilo à noite é uma das melhores experiências da vida.

Aswan é predominantemente habitada pelos núbios, um dos povos mais antigos (e simpáticos) da humanidade, que possui seu próprio idioma e sua própria cultura. Por isso, vale a pena conhecer sua aldeia, chamada de Nubian Village.

Templo de Philae em Aswan - Victor Caselli/UOL - Victor Caselli/UOL
Templo de Philae em Aswan
Imagem: Victor Caselli/UOL
Templo foi homenagem a Deusa Ísis - Victor Caselli/UOL - Victor Caselli/UOL
Templo foi homenagem à Deusa Ísis
Imagem: Victor Caselli/UOL

Um monumento a se visitar em Aswan é o Templo de Philae, dedicado à deusa do amor, Ísis. As ruínas do templo estão conservadas e ele fica numa ilha. Então, para chegar lá, a única opção é ir de barco.

Se tiver tempo, inclua no roteiro uma visita até Abu Simbel. O complexo fica na divisa do Egito com o Sudão e os templos foram feitos para homenagear Ramsés 2° (um dos faraós mais importantes do Egito) e sua esposa Nefertari.

Hurghada

Praia de Mahmya, em Hurghada, no Egito - Kévin et Laurianne Langlais/Unsplash - Kévin et Laurianne Langlais/Unsplash
Praia de Mahmya, em Hurghada, no Egito
Imagem: Kévin et Laurianne Langlais/Unsplash

Muitos podem não saber, mas o Egito também possui lindas praias ao longo de sua costa leste, banhada pelo Mar Vermelho. Uma das principais é Hurghada, balneário que fica a 300 quilômetros de Luxor.

Repleta de turistas, principalmente russos, atraídos pelo clima e pela cor azul-turquesa de seu mar, Hurghada oferece diversas opções de resorts, hotéis, beach clubs, restaurantes, bares e baladas. Com uma vida noturna pulsante e agitada e praias paradisíacas, é um dos destinos mais procurados para quem quer relaxar e se divertir no Egito.

Mercure Hurghada Hotel, em Hurghada, no Egito - Sean Wang/Unsplash - Sean Wang/Unsplash
Mercure Hurghada Hotel, em Hurghada, no Egito
Imagem: Sean Wang/Unsplash

O mar de Hurghada é propício para a prática de esportes aquáticos, como mergulho, snorkeling, windsurf e kitesurf. Para os menos atrevidos, também há a possibilidade de andar de barco e até submarino, através dos quais é possível ver a rica biodiversidade marinha nas quentes e cristalinas águas do Mar Vermelho. Se preferir, você também pode esticar o passeio e passar um dia em Giftun Islands.

Mesquita Al Mina à noite, em Hurghada - Victor Caselli/UOL - Victor Caselli/UOL
Mesquita Al Mina à noite, em Hurghada
Imagem: Victor Caselli/UOL

A arquitetura de Hurghada está presente na charmosa Mesquita El Mina Masjid. Ela fica ao lado do Mercado de Peixes, onde pescadores atracam seus barquinhos com produtos frescos que servem de ingrediente para os restaurantes da região da Marina de Hurghada.

Sharm el-Sheikh

Não longe de Hurghada fica Sharm el-Sheikh. Se você é mergulhador ou gosta do tema, já deve ter escutado esse nome. Afinal, a cidade é uma das referências mundiais quando o assunto é mergulho.

Cidade de Sharm el-Sheikh, no Egito - Irina Nakonechnaya/Unsplash - Irina Nakonechnaya/Unsplash
Cidade de Sharm el-Sheikh, no Egito
Imagem: Irina Nakonechnaya/Unsplash

Sharm el-Sheikh fica do outro lado do Mar Vermelho, situada ao sul da Península do Sinai. Para chegar lá, há balsas que saem de Hurghada. Entretanto, durante a pandemia o serviço que faz esse trajeto foi suspenso, então é melhor checar com as empresas antes de ir. Outra opção é pegar um voo, que dura rápidos 30 minutos.

O Parque Nacional Ras Mohamed é um dos lugares preferidos dos mergulhadores. A reserva natural tem um território de 480 km² e abriga uma gigantesca diversidade marinha: são mais de mil espécies de peixe e mais de duzentas espécies de corais.

Mesquita Al Sabaha, em Sharm el-Sheikh - Victor Caselli/UOL - Victor Caselli/UOL
Mesquita Al Sabaha, em Sharm el-Sheikh
Imagem: Victor Caselli/UOL

Assim como Hurghada, Sharm el-Sheik também tem sua beleza arquitetônica: as mesquitas de Al Mustafa e Al Sahaba, essa última localizada na região do Old Market, um mercado ao ar livre.

Para quem quiser tomar um drinque e tirar belas fotos, o local indicado é o Farsha Café. Situado numa encosta, o bar tem uma decoração rústica e colorida, com sofás, pufes e almofadas de tecido. A vista de lá é surreal, tanto ao entardecer como durante o dia, quando o mar mostra seus diferentes tons de azul.

Mar Vermelho visto do Farsha Café - Victor Caselli/UOL - Victor Caselli/UOL
Mar Vermelho visto do Farsha Café
Imagem: Victor Caselli/UOL

À noite, Sharm el-Sheikh também oferece ótimas opções de entretenimento, com bares, restaurantes e até baladas, incluindo os famosos Hard Rock Café e a Pacha. A maioria desses estabelecimentos se encontram na iluminada e badalada Naama Bay Street. Por vezes, nem parece que estamos no Egito, mas em qualquer outra cidade litorânea do Ocidente.

Dahab

Menos turística e artificial do que Sharm el-Sheikh, Dahab é o paraíso dos mochileiros. Pouco conhecida pela maioria dos viajantes, a pequena cidade — que antigamente era uma vila de pescadores — é um paraíso de belezas naturais.

Com um ritmo bem mais leve e tranquilo do que o Cairo e Sharm el-Sheikh, Dahab fica na costa leste da Península do Sinai, em frente ao Golfo de Aqaba. Como a cidade não tem aeroporto, a melhor opção para se chegar lá é através de ônibus. O trajeto de Sharm el-Sheik até Dahab dura cerca de uma hora.

Água cristalina em Abu Galum - Victor Caselli/UOL - Victor Caselli/UOL
Água cristalina em Abu Galum
Imagem: Victor Caselli/UOL
A praia de Blue Lagoon; bem ao fundo, a Arábia Saudita - Victor Caselli/UOL - Victor Caselli/UOL
A praia de Blue Lagoon; bem ao fundo, a Arábia Saudita
Imagem: Victor Caselli/UOL

Dahab também é famosa pela oferta de mergulhos, principalmente pelo conhecido Blue Hole. Com mais de 90 metros de profundidade, é um passeio obrigatório para se fazer snorkeling, mergulho com cilindro ou freediving.

Ao norte do Blue Hole, passando a reserva natural de Ras Abu Galum, fica a Blue Lagoon. Ideal para a prática de kitesurf e windsurf, o cenário parece de filme: a coloração do mar, que vai desde verde-piscina até azul escuro, o céu limpíssimo e o pano de fundo com as montanhas da Arábia Saudita no horizonte sem dúvidas tornam Blue Lagoon um destino único.

Nascer do sol no Monte Sinai - Victor Caselli/UOL - Victor Caselli/UOL
Nascer do sol no Monte Sinai
Imagem: Victor Caselli/UOL
Vista das montanhas do Monte Sinai - Victor Caselli/UOL - Victor Caselli/UOL
Vista das montanhas do Monte Sinai
Imagem: Victor Caselli/UOL
Primeiros raios de sol durante a madrugada na Península do Sinai - Victor Caselli/UOL - Victor Caselli/UOL
Primeiros raios de sol na Península do Sinai
Imagem: Victor Caselli/UOL
Sinalização no topo do Monte Sinai - Victor Caselli/UOL - Victor Caselli/UOL
Sinalização no topo do Monte Sinai
Imagem: Victor Caselli/UOL

Para fechar o passeio no Egito suba o Monte Sinai. Foi lá onde, segundo a Bíblia, Moisés recebeu os Dez Mandamentos. Você pode perguntar no hotel sobre o passeio, mas geralmente uma van busca os interessados às 22h.

A chegada na montanha ocorre por volta da meia-noite, enquanto a longa e cansativa subida até o topo dura cerca de quatro horas. Por volta das 5 da manhã, o sol nasce na Península do Sinai. Um passeio inesquecível tanto para os religiosos, quanto para aqueles que gostam de aventura e da natureza.