PUBLICIDADE
Topo

Adeus, camelos! Petra começa a substituir animais por carrinhos elétricos

Petra, na Jordânia, começou a substituir animais por carrinhos elétricos - Khalil Mazraawi/AFP
Petra, na Jordânia, começou a substituir animais por carrinhos elétricos Imagem: Khalil Mazraawi/AFP

De Nossa

24/11/2021 13h34

Os famosos passeios pelas ruínas históricas de Petra, na Jordânia, com camelos e carruagens movidas por cavalos — à la Indiana Jones — podem, em breve, virar coisa do passado. Isto porque eles começaram a ser substituídos por carrinhos elétricos, os e-buggies.

"Eles não produzem fumaça ou poluição e a mudança reduziu os casos de maus tratos aos animais", explicou Suleiman Farajat, chefe do departamento de Desenvolvimento e Turismo Regional de Petra, à agência AFP.

Entre outros pontos positivos da mudança, segundo Farajat, está o fato de que os veículos realizam trajetos menos turbulentos para os turistas, já que é comum que rodas de carruagens batam nas laterais do Siq, um longo desfiladeiro que leva à entrada da cidade.

Além disso, as fezes dos animais atribuíam um mau cheiro quase permanente ao trajeto e dificultavam a limpeza. "Era uma experiência desagradável para os turistas, os cavalos e para nós", acredita.

Petra, na Jordânia, começou a substituir animais por carrinhos elétricos - Khalil Mazraawi/AFP - Khalil Mazraawi/AFP
Imagem: Khalil Mazraawi/AFP

Uma frota de 10 carrinhos recarregáveis já transporta os visitantes atualmente, substituindo 12 carruagens movidas por animais. A mudança foi bem recebida por turistas com dificuldades de locomoção, como idosos e cadeirantes, e também pela Associação dos Proprietários de Cavalos.

"Os cavalos estavam cansados, eles rendem menos e a jornada era mais longa", contou o presidente da associação, Mohammad Amarat, à agência. Ainda de acordo com ele, os trabalhadores que operam os carrinhos ganham mais porque, enquanto o veículo leva cinco passageiros por viagem, a carruagem suporta apenas dois — e o ingresso do passeio é pago de maneira individual.

Amarat estima que trabalhadores que dirigem os carrinhos já ganhem 300 dinares por mês, cerca de R$ 2.370, atualmente.

Petra, na Jordânia, começou a substituir animais por carrinhos elétricos - Khalil Mazraawi/AFP - Khalil Mazraawi/AFP
Imagem: Khalil Mazraawi/AFP

O lucro extra é bem-vindo em tempos de recuperação do turismo pós-covid. O grupo de proteção animal PETA também comemorou a medida, que classificou à AFP como "um grande primeiro passo para proteger os animais que trabalham", e disse que espera poder trabalhar junto com o governo local para que eventualmente haja apenas transporte livre de animais em Petra.

As autoridades de Turismo em Petra informaram à agência que manterá alguns dos cavalos e camelos por enquanto "para preservar a personalidade do local", que é um Patrimônio da Humanidade reconhecido pela Unesco.