PUBLICIDADE
Topo

Marc Jacobs apoia protestos após ter a loja quebrada em ato contra racismo

Loja de Marc Jacobs pichada em Los Angeles, nos Estados Unidos, em ato antirracista - Reprodução/Instagram
Loja de Marc Jacobs pichada em Los Angeles, nos Estados Unidos, em ato antirracista Imagem: Reprodução/Instagram

Gustavo Frank

De Nossa

01/06/2020 14h31

O Estados Unidos vive seu sexto dia de protestos antirracistas após o assassinato de George Floyd em abordagem policial na cidade de Minneapolis.

Em um dos atos realizados em Los Angeles, nos Estado da Califórnia, Marc Jacobs teve uma de suas lojas quebrada e pichada com os nomes de Sandra Bland e George Floyd sobrepostos ao da grife.

Sandra Bland, de 28 anos, foi detida pelo policial do Texas Brian Encinia por uma pequena infração de trânsito. Ao ser abordada pelo policial, ela acendeu um cigarro e se recusou a apagá-lo. Bland foi presa e acusada de agredir um policial depois de protestar contra a operação e, posteriormente, se matou na prisão.

No Instagram, o estilista compartilhou fotos da loja pichada e defendeu os protestos: "Uma vida não pode ser substituída. Black Lives Matter", escreveu ele, incentivando o movimento contra a força policial.

Em uma publicação anterior, Marc já tinha apoiado os atos com intervenções em propriedades. Após ser questionado por um seguidor "se estava louco, pois suas lojas poderiam ser destruídas", ele rebateu dizendo que isso já tinha acontecido.

"Minha loja foi destruída ontem à noite", escreveu ele, apoiando o texto publicado em que reforça a ideia de que "propriedades podem ser substituídas, mas vidas não".

Marc Jacobs - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
"Você está louco ou o que? E se eles destruírem suas lojas?", perguntou um seguidor. "Minha loja foi destruída ontem à noite", respondeu o estilista
Imagem: Reprodução/Instagram

Grifes se posicionam

Por meio das redes sociais, as grifes Gucci, Jacquemus e Prada também se manifestaram a favor da luta antirracista.

Gucci

"O mundo dirá para você: nós precisamos acabar com o racismo. Comece fazendo isso dentro da sua própria família.

O mundo dirá para você: como nós conversamos com o preconceito e o fanatismo? Comece tendo as primeiras conversas na sua mesa de jantar.

O mundo dirá para você: Existe muito ódio. Use seu tempo para amar.

Ame a si mesmo tanto quanto você pode amar os outros sem barreiras e sem julgamentos".

Jacquemus

A grife francesa de Simon Porte Jacquemus compartilhou publicações com a frase: "Black Lives Matter", "vidas negras importam", em tradução livre.

Prada

No Instagram, a equipe da Prada publicou um comunicado afirmando apoio e solidariedade contra o racismo.

"O Grupo Prada está indignado e entristecido pelas injustiças que a comunidade negra enfrenta e mantém firme apoio e solidariedade contra o racismo. Nós levantamos nossa voz e continuamos a trabalhar com nosso Conselho de Diversidade e Inclusão para lutar por justiça racial em todos os lugares".