PUBLICIDADE
Topo

Exoesqueletos, 3D e ilusão de ótica: Iris Van Herpen cria o futuro da moda

Lookbook de Iris Van Herpen para a coleção Hypnosis - Reprodução
Lookbook de Iris Van Herpen para a coleção Hypnosis
Imagem: Reprodução

Gustavo Frank

De Nossa

22/04/2020 04h00

Antes mesmo de que o coronavírus mudasse os olhares sobre a moda, a holandesa Iris Van Herpen já chamava a atenção pela inovação proposta com sua coleção de roupas. Ela foi pioneira em unir a tecnologia e as tradicionais técnicas de costura para criar uma nova era nesse universo, utilizando a impressão 3D em roupas de alta-costura.

As peças de Van Herpen sustentam a afirmação de que moda é, sobretudo, arte, vide a exposição programada para 2021 de suas obras no Museu Les Arts Décoratifs, em Paris, voltado para as artes decorativas e design. O que não é novidade para quem tem personalidades como Björk, Tilda Swinton e Lady Gaga como manequins para o que cria.

Em entrevista ao site Tatlter, a designer diz que aproximadamente 80% da fabricação de suas roupas são feitas à mão, enquanto o restante fica sob a responsabilidade das impressoras.

Para ela, a combinação dessas técnicas "expandem a capacidade do artesanato" por trás das roupas. Já para as passarelas, que procuram novos rumos para se reinventar, essas junções apresentam o futuro da moda que agora, mais do que nunca, exigem inovação.

As profundidades no oceano

Modelo posa no backstage da coleção de primavera/verão 2019 de Iris Van Herpen na Semana de Moda de Paris - Vittorio Zunino Celotto/Getty Images - Vittorio Zunino Celotto/Getty Images
Modelo posa no backstage do desfile da coleção de primavera/verão 2019 de Iris Van Herpen na Semana de Moda de Paris
Imagem: Vittorio Zunino Celotto/Getty Images

Ao apresentar sua coleção de alta-costura na Semana de Moda de Paris, Iris Van Herpen destacou suas obras ao retratar sua visão da biologia no fundo do mar, incorporando exoesqueletos e estruturas que parecem se fundir ao corpo das modelos e criar uma ilusão de ótica sobre o que é real e o que é ilusão — ou fascínio.

Desfile da alta-costura da coleção primavera/verão de Iris Van Herpen na Semana de Moda de Paris - Peter White/Getty Images - Peter White/Getty Images
Desfile da alta-costura da coleção primavera/verão de Iris Van Herpen na Semana de Moda de Paris
Imagem: Peter White/Getty Images

Desfile da alta-costura da coleção primavera/verão de Iris Van Herpen na Semana de Moda de Paris - Peter White/Getty Images - Peter White/Getty Images
Desfile da alta-costura da coleção primavera/verão de Iris Van Herpen na Semana de Moda de Paris
Imagem: Peter White/Getty Images

Com uma tela preta como pano de fundo, onde fios torcidos de luz azul neon piscam e dançam como se fossem bioluminescência, Iris apresentou sua versão da mutabilidade da vida na natureza.

Tecidos mais leves, que parecem ter vida própria durante o desfile, transformam as modelos em águas-vivas, e o uso de proporções geométricas imaginam como seriam corais, caso fossem vestíveis. Ou ainda melhor: sugerem os outros organismos que ficam só nos planos das ideias (ou imaginação) nos 11 mil metros das profundezas nunca explorados pelo homem.

Hipnose na moda

Iris Van Herpen - Vittorio Zunino Celotto/Getty Images - Vittorio Zunino Celotto/Getty Images
Desfile da coleção outono/inverno de Iris Van Herpen na Semana de Moda de Paris 2020
Imagem: Vittorio Zunino Celotto/Getty Images

"Em meu trabalho, busco por relações simbióticas, de olho nas belezas escondidas e na intersecção entre precisão e caos, arte e ciência, artificial e orgânico, que se fundem em infinitos híbridos", diz Iris Van Herpen.

Em sua última coleção, intitulada "Hipnose", a holandesa usou uma gama ainda maior de materiais, como metais, silicone, corte a laser e a impressora 3D para expandir suas ideias.

Desfile da coleção outono/inverno de Iris Van Herpen na Semana de Moda de Paris 2020 - Getty Images - Getty Images
Desfile da coleção outono/inverno de Iris Van Herpen na Semana de Moda de Paris 2020
Imagem: Getty Images

Desfile da coleção outono/inverno de Iris Van Herpen na Semana de Moda de Paris 2020 - Getty Images - Getty Images
Desfile da coleção outono/inverno de Iris Van Herpen na Semana de Moda de Paris 2020
Imagem: Getty Images

Sua inspiração — e também colaboração — nesse trabalho é com o artista Anthony Howe, escultor cinético americano que cria esculturas movidas pelo vento que se assemelham a pulsações.

O vestido Infinity, apresentado no final do desfile, fala por si só quando encontra o mecanismo cinético estruturado na passarela. Um esqueleto projetado de alumínio e aço inoxidável é bordado com uma delicada camada de penas em voo cíclico, girando em torno de seu próprio centro.

Veja o desfile completo e os bastidores da criação da coleção:

Desfile

Bastidores da criação