PUBLICIDADE
Topo

Decifre seu forno e aprenda a usá-lo da maneira correta

Do UOL, em São Paulo

18/04/2016 19h13

Falou em cozinha, lá está ele, o centro das atenções: o forno. E todo mundo que já se aventurou pela cozinha tem uma história de terror para contar sobre o eletrodoméstico: desde o prato que virou carvão por conta de esquecimento, do cheiro de queimando quando a massa transbordou na massa (e ninguém sabe ao certo como limpar)... Para não falar de coisas como a temida "temperatura média" que aparece nas receitas, ou de mistérios como o bolo que só assou direito de um lado da forma.

Para desvendar alguns dos mistérios ao redor do eletrodoméstico e esclarecer algumas questões, ouvimos Carlos Eduardo Sousa, diretor da Whirlpool América Latina, e Lucas Medina, professor do curso de Gastronomia do Senac-SP. Confira a seguir como decifrar seu forno e nunca mais perder o sono com comida queimada!

  • Getty Images

    Por que preaquecer?

    Quase toda receita que demanda o uso do forno fala em preaquecimento - ou seja, ligar o forno 10 ou 15 minutos antes de assar o prato. Não é esperto ignorar essa instrução com a desculpa de economizar no gás: após ser acionado, o forno demora alguns minutos para atingir a temperatura ideal. Colocar bolos ou pães para assar antes da hora, por exemplo, pode acabar atrapalhando o crescimento da receita, resultando na famosa massa "solada" na forma.

  • Getty Images

    Temperatura média

    A instrução misteriosa dos livros de receita tem solução. "Pode-se dizer que a temperatura média vai de 160oC até 175oC", explica Lucas Medina. "Para maior precisão, vale a pena investir em um termômetro, tanto para medir se a temperatura está correta, independente do termômetro do próprio forno, como para medir temperatura interna de cozimento interno dos alimentos", explica o professor.

  • Getty Images

    Assado desigual

    Às vezes, o bolo assa de maneira desigual no forno: um lado fica bom enquanto o outro fica cru (ou pior, queimado). Segundo Carlos Eduardo, isso acontece por alguns fatores, como ter colocar o prato para assar sem ter preaquecido o forno, ou ainda por uma desregulagem da chama do forno a gás. "Nesse caso, alguns bicos de gás tem chama maior do que outros. É preciso fazer a limpeza", explica Lucas Medina. "Um técnico deve ser chamado, inclusive para aferir se a temperatura indicada é a que de fato está sendo atingida."

  • Divulgação

    Elétrico ou a gás?

    Quem não tem espaço em casa para um forno a gás e quer investir na versão elétrica, vale prestar atenção no momento do uso. As versões elétricas também precisam ser preaquecidas, embora por um período de tempo menor. "Os dois modelos possuem características de cocção similares, porém normalmente os fornos elétricos apresentam mais precisão", explica Carlos Eduardo.

    E, no caso dos fornos convencionais, a história de que gás de rua teria chama mais forte do que o de botijão é apenas uma lenda, de acordo com os fabricantes. "Não há diferença no funcionamento, desde que o produto seja devidamente adequado ao tipo de gás que será utilizado", explica Carlos Eduardo.

  • Reprodução/Fisherpaykel

    Na hora de limpar

    Na hora de definir onde colocar o forno em casa, pense em garantir um bom espaço para a circulação de ar ao redor do aparelho - isso evita que ele aqueça em excesso.

    E quando acontecerem acidentes com formas que transbordam ou que respingam, o melhor é limpar tão logo possível. Espere o forno esfriar e passe um pano úmido. Os fabricantes não recomendam o uso de produtos abrasivos e, para limpeza das portas de vidro, apenas detergente líquido ou produtos desengordurantes. Remova-os com um pano umedecido e passe um pano ou papel para secar, evitando a ferrugem.