PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Arnaldo Ribeiro: "Não existe mocinho, cada cartola reclama para o seu lado"

Do UOL, em São Paulo

28/11/2020 04h00

A discussão a respeito do gol anulado do São Paulo no empate com o Ceará na última quarta-feira (25) chamou a atenção para os problemas do VAR e rendeu mais uma vez reclamações de dirigentes de futebol em caso nos quais o clube é prejudicado, como já havia ocorrido em outros episódios recentes no futebol brasileiro.

No podcast Posse de Bola #77, em debate com Mauro Cezar Pereira, Arnaldo Ribeiro afirma não esperar nenhuma mudança no comportamento de dirigentes, preocupados apenas com o próprio clube, como já é comum no país.

"A conclusão final da coisa é que, de fato, como disse o Mauro, não existe mocinho, como disse o Juca, cada cartola reclama para o seu lado pensando na próxima decisão, a favor ou contra, e é isso o que move as situações", diz Arnaldo.

"Lamentavelmente, a minha impressão é que, além de os cartolas continuarem advogando em causa própria sempre, em qualquer situação, com estratégias próprias, e não no geral, para o benefício global do futebol", completa.

O jornalista afirma que deveria haver uma cobrança à comissão de arbitragem da CBF para que se interfira menos nos jogos, o que não acredita que ocorrerá, além de já esperar um tempo mais elevado na espera para a revisão de cada jogada com o VAR, em especial nos casos de impedimento.

"Agora, eu acho que a gente tem que talvez depois dessa lambança que reuniu tudo, reuniu em um lance diversas coisas, reuniu no VAR diversas coisas, e reuniu no pós, reclamações, diversas coisas, a gente tentar mostrar ou reivindicar da comissão de arbitragem da CBF e da CBF menos intervenção no jogo. Quanto menos intervenção, deixar os jogadores resolverem a parada, intervir o menos possível", afirma Arnaldo.

"Minha impressão é que depois dessa situação, em vez de haver uma reflexão na comissão de arbitragem, uma diminuição da intervenção do VAR e dos palpites, sabe o que vai acontecer? Nós vamos ter mais tempo perdido nas decisões que acontecerem, por exemplo, em impedimentos. Porque o caso foi analisado só um momento do lance e, ficou claro isso, um erro absurdo da turma da arbitragem. Talvez, na 'pressa' de dar uma decisão, avalizar ou não a decisão de campo", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol