PUBLICIDADE
Topo

Mauro: "Me espanta a frieza com a qual os dirigentes lidam com a tragédia"

Do UOL

Em São Paulo

03/02/2020 17h56

A tragédia que matou dez jogadores da base do Flamengo com um incêndio no centro de treinamento Ninho do Urubu está próxima de completar um ano e ainda não foram definidas as questões de indenização às famílias das vítimas e a investigação sobre possíveis culpados.

Durante o segundo bloco do podcast Posse de Bola #18, Mauro Cezar Pereira aborda o assunto e criticou a forma como o clube se pronunciou no último fim de semana, com uma entrevista para a TV oficial do Flamengo sem a presença de jornalistas não ligados à entidade que pudessem fazer perguntas. Para o jornalista, assusta a postura que alguns dirigentes do Flamengo adotaram, inclusive com a dispensa dos sobreviventes que estavam treinando na base sob a alegação de motivos técnicos.

"O que me espanta é a frieza com a qual eles lidam com o assunto, é assustador. Até com os vivos, eles erram. A dispensa dos cinco meninos agora há poucos dias. Para quem não acompanhou, cinco garotos sobreviventes do incêndio continuaram no time de base do Flamengo e foram dispensados. A alegação foi técnica. Quando essa pergunta foi colocada, o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, disse que não interveio porque não é a área dele. Então não é área dele também ir apertar a mão do Jorge Jesus lá em Madri", diz Mauro.

O jornalista está fazendo uma série de entrevistas para o seu blog no UOL e relata que o que as famílias das vítimas mais cobram é atenção da parte do clube.

"Isso é o retrato de como pessoas do clube encaram essa tragédia. Eu entendo que o Flamengo não possa fazer o acordo de maneira simplória, como muita gente defende, dando exatamente o valor que uma família ou outra peça, porque o dinheiro não é dos dirigentes e eles devem satisfações para os conselhos, para os sócios, para os torcedores e tal, mas é possível um empenho maior", diz Mauro.

"Tanto no contato que eu tive, entrevistando os advogados das famílias, quanto as das matérias da TV Globo, você percebe que a reclamação de quase todos eles é a falta de atenção, de carinho", completa.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol