PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Milan nomeia novo presidente após fundo Elliott assumir controle do clube

Yonghong Li (à direita) deixou a presidência do Milan - Miguel Medina/AFP
Yonghong Li (à direita) deixou a presidência do Milan Imagem: Miguel Medina/AFP

21/07/2018 14h45

O Milan disse neste sábado que o ex-chefe de uma petroleira vai comandar o clube de futebol italiano interinamente enquanto busca por um novo presidente-executivo após o fundo norte-americano Elliott ter assumido o controle.

O Milan informou que Paolo Scaroni, que foi CEO da petroleira italiana Eni por muito tempo e agora vice-presidente do conselho do banco de investimento Rothschild, foi nomeado presidente-executivo e assumirá a gestão do clube de forma interina.

Sua nomeação foi anunciada no momento em que o clube indicava um novo conselho.

O presidente-executivo Marco Fassone, que foi contratado ano passado pelos antigos donos, chineses, renunciou com efeito imediato.

O Elliott assumiu o endividado time de futebol após Yonghong Li, que ano passado comprou o Milan do ex-primeiro ministro italiano Silvio Berlusconi, não pagar um reembolso ao fundo norte-americano.

O Milan disse que o conselho se reunirá novamente em breve para discutir um novo plano de negócios e definir uma estratégia para o clube conquistar novamente o status da Champions League.

O clube deficitário fica atrás apenas do Real Madrid na lista de vencedores da maior competição da Europa, mas não conquistou nenhum grande título desde 2011.

O Elliott se comprometeu a injetar 50 milhões de euros (59 milhões de dólares) no clube, levando o Tribunal Arbitral do Esporte a reverter na sexta-feira uma decisão da UEFA, que regula o futebol na Europa, de banir o Milan da próxima competição da Liga Europeia devido às suas dificuldades financeiras.

"Este é um momento crítico na história do clube e somos todos gratos por ter um novo dono comprometido com o retorno do Milan à sua antiga glória", disse Scaroni em comunicado.

Futebol