PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Atuações ENM: Deyverson sai do banco para tornar o Palmeiras Tri campeão da América

Esporte News Mundo (redacao@esportenewsmundo.com.br)

27/11/2021 21h25

O Palmeiras venceu o Flamengo por 2 a 1, na prorrogação, e conquistou a Taça Libertadores da América de 2021. Em grande partida coletiva da equipe, fica difícil fazer críticas a algum desempenho individual. Mais uma vez, a defesa se mostrou muito sólida, com até Gustavo Scarpa atuando como uma espécie de lateral-esquerdo.

No final, Deyverson, o home que é visto por muitos como “maluco”, “fraco”, “com um parafuso a menos”, veio do banco de reservas para colocar o Palmeiras no topo da lista dos brasileiros com mais Libertadores. Agora, são três, com as últimas duas tendo sido conquistadas no mesmo ano, fato inédito na história da competição. Confira, agora, as notas de cada um dos atletas campeões da América. A maioria, inclusive, bicampeão da América.

NOTAS DOS JOGADORES

Weverton – 7,0 não fechou o seu canto direito, e acabou sofrendo o gol de Gabigol, em lance de falha sua. Porém, teve algumas intervenções importantes na partida, e fez uma grande Libertadores. Já é um dos maiores goleiros da história do Palmeiras. Talvez, até, o maior.

Mayke – 8,5 – substituiu o titular Marcos Rocha de maneira exemplar, sendo muito seguro defensivamente. Teve ótima precisão nos desarmes e saiu de campo com uma excelente atuação. No começo, avançou pela direita e deu uma bela assistência para o gol de Raphael Veiga.

Gustavo Gómez – 8,0 – um dos pilares do time, foi um muro na defesa e vai tornando-se um dos maiores zagueiros da história do clube. Firme no jogo aéreo, por baixo, e um líder nato.

Luan – 8,0 – mais uma grande atuação em final de Libertadores de um zagueiro muitas vezes criticado, mas que é um dos melhores do país. Deu a volta por cima na temporada após um pênalti cometido no Mundial de Clubes e um desperdiçado na Supercopa do Brasil. Já é ídolo.

Piquerez – 7,0 – foi soberano no primeiro tempo, com muita imposição física e alerta nas jogadas pelo seu lado. Mostrou muito bem a raça uruguaia, mas falhou em alguns momentos na segunda etapa. Depois, acabou sendo substituído.

Danilo – 8,5 – grande partida do melhor primeiro volante do país. Mostra cada vez mais um futebol moderno e que já já deve fazê-lo ir para o futebol europeu. Foi muito importante para fechar o meio-campo alviverde e ajudar na saída de bola.

Zé Rafael – 7,0 – brigou muito a partida inteira, mas foi desatento no começo, quando quase entregou um gol para o Flamengo. Errou alguns passes na saída de bola, mas foi muito importante na marcação aos atletas do Rubro-Negro.

Raphael Veiga – 7,5 – fez um belo gol logo no começo, mas caiu muito de produção no segundo tempo. Perdeu muitas bolas e faltou chamar mais o jogo. Mesmo assim, já está na história do Verdão.

Gustavo Scarpa – 8,0 – jogando como um lateral-esquerdo, fez um ótimo jogo, sendo preciso na cobertura pela esquerda, e cobrando escanteios perigosos. Com a saída de Piquerez no final da prorrogação, assumiu de vez a lateral e não comprometeu.

Dudu – 6,0 – foi o que menos conseguiu contribuir para a equipe, parecendo um pouco tímido. Fez poucas jogadas de um contra um e errou alguns passes. Tanto que acabou substituído por Wesley.

Rony – 8,0 – lutou muito durante todos os 120 minutos e foi a melhor válvula de escape da equipe. Quase fez um golaço no segundo tempo, evitado pelo goleiro Diego Alves. Foi muito importante também no primeiro gol do time, puxando a marcação do Fla para deixar Veiga com espaço para finalizar.

Patrick de Paula – 8,0 entrou no lugar de Danilo no segundo tempo, e conseguiu ser importante na armação de jogadas e em puxadas de contra-ataque. Acabou sendo muito importante para a vitória.

Wesley – 6,5 – não conseguiu ser incisivo pelo lado do campo, e pouco contribuiu ofensivamente. Defensivamente, ajudou na marcação pelo lado.

Danilo Barbosa – 7,0 – marcou muito bem o meio, fechando bem a linha de passe do Mengão por ali. Teve um ataque em que poderia ter rolado a bola para Deyverson, que estava livre, mas errou o passe de maneira bisonha

Deyverson – NOTA DEZ! – entrou na prorrogação para fazer o gol do título, chorar, cair no chão, e segurar bem a bola no campo de ataque. Maior partida da sua carreira. Não há o que criticar. Atuação histórica do camisa 9. Agora, já são dois gols de título para ele. Além do tri da Libertadores, fez o gol do Deca brasileiro, em 2018.

+Veiga comemora bi da Libertadores em um mesmo ano: 'Ninguém vai fazer isso'

Gabriel Menino – 6,5 – entrou no segundo tempo da prorrogação para segurar o ataque adversário no lado direito, e não comprometeu.

Felipe Melo – 6,5 – melhorou a estatura da equipe e foi firme nos poucos minutos em que esteve em campo.

Para saber tudo sobre o Palmeiras, siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

Abel Ferreira – 9,0 – é um dos grandes responsáveis por essas duas conquistas do Palmeiras, provando ser o melhor estrategista do país. Na partida, conseguiu armar um esquema que dificultou muito as ações do Flamengo, e ainda colocou Deyverso, o herói da noite em Montevidéu.

Futebol