PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Renato Gaúcho defende Flamengo após empate: 'Não tiveram espaço para construir'

Esporte News Mundo (redacao@esportenewsmundo.com.br)

18/10/2021 00h02

Na noite deste domingo (17), Flamengo e Cuiabá se enfrentaram pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro e ficou no 0 a 0. O líder Atlético-MG também perdeu. Essa era a chance para o Fla encurtar a distância e depender apenas de si mesmo para conquistar o tricampeonato do Brasileirão. Após o jogo, em coletiva de imprensa, o técnico do Flamengo, Renato Gaúcho, foi questionado sobre as chances desperdiçadas de se aproximar do líder. Ele respondeu:

Dominando o jogo desde o primeiro tempo, o empate garantiu ao Rubro-Negro um ponto na tabela de classificação do Brasileirão. Dessa forma, o Flamengo conta com 46 pontos em 24 jogos do Campeonato e segue na disputa pelo tricampeonato.

-  É uma equipe que não vai ganhar todos os jogos. Não há uma equipe no mundo que vai ganhar todos os jogos, todo mundo vai tropeçar. O Atlético tropeçou hoje também, infelizmente nós tropeçamos hoje também. Nós empatamos o jogo em casa que poderíamos ter reduzido ainda mais a diferença para o líder. O jogo foi difícil, a gente já sabia. Um jogo pegado, com poucos espaços. Tentamos de todas as formas, mas infelizmente a gente não conseguiu nosso objetivo que era a vitória.

+ Diego Alves atingirá marca expressiva pelo Flamengo diante do Cuiabá

+ Atuações ENM: Com pouco repertório, Flamengo ameaça pouco e para em blitz do Cuiabá; confira as notas

+ Everton Ribeiro revê atuação do Flamengo no Brasileirão: 'Criar mais nos próximos'

Além disso, Renato Gaúcho também foi questionado sobre a falta de Pedro no confronto de hoje, jogador caracterizado pelo seu oportunismo dentro da área para fazer gols, e sobre a dificuldade de um Flamengo mais simples, com jogadas mais objetivas.

-  Quando você pega uma equipe bem fechada, a equipe não deixa você chutar e tira todos os espaços. No futebol é muito mais fácil destruir do que construir. Então, por mais talentosos que sejam os jogadores, se eles não tiverem os espaços para construir fica difícil. É mais fácil fazer uma falta, chutar uma bola para frente, ficar mais fechado. Então, a equipe que se propôs a não tomar gol e não ofereceu perigo nenhum para a gente. […] Então, fica difícil. Em um momento em que o adversário se fecha totalmente, esquece de jogar e se preocupa só de não tomar gol. Eles vieram com essa proposta e para eles deu certo. Infelizmente, para a gente, que tentou de todas as formas, a bola não entrou.

O técnico do Flamengo também respondeu sobre sua estratégia de jogo e como foi disputar com um time que entrou em campo com a proposta de apenas não levar gol:

- É muito mais fácil no futebol se destruir do que construir. Quando você pega um adversário, você precisa virar o jogo rápido, fazer jogadas de linha de fundo, de preferência com jogadores que cabeceiem bem dentro da área. Não é só com o Flamengo. É difícil. Quando você encontra uma equipe que se propõe somente a entregar a se fechar, não buscar o gol, e eles têm todo o direito de fazerem isso, fica difícil. Tanto é que muitas vezes você consegue furar o bloqueio, faz o gol e quebra a parte tática do adversário. Porque o adversário muitas vezes não sabe o que fazer e acaba tomando três, quatro ou cinco gols. Mas a proposta era essa de não tomar gol e, infelizmente, não fizemos o gol. Com as peças no departamento médico, mais opções, certamente, poderíamos nos ajudar nesta noite.

Renato Gaúcho também respondeu sobre os jogadores Gabigol - por que tirar ele de campo no segundo tempo - e Ramon - a respeito de dar mais oportunidades para o lateral.

Sobre o atacante, ele revelou:

- O Gabigol quase que nem entra em campo. Ele passou mal no vestiário e no intervalo. Tomou remédio antes do jogo. Tomou remédio no intervalo. Eu perguntei para ele se tinha condições, se estava passando mal. Pedi para voltar mais alguns minutos no segundo e caso não desse, eu ia ter que tirar. Ele passando mal do estômago, deixar ele em campo não estando bem, coloquei um homem de área. Deixei ele o máximo no campo. Mas chegou um momento que tive que tirar.

Sobre o lateral, ele foi direto ao ponto e respondeu:

- Porque temos um dos melhores laterais-esquerdos do mundo. O Filipe Luís. Está bom assim?

Siga o perfil do Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook

O próximo jogo do Flamengo pelo Brasileirão acontecerá no próximo sábado (23), às 19h, contra o Fluminense. Antes disso, o Rubro-Negro entrará em campo na quarta-feira contra o Athletico-PR, às 21h30, em jogo válido pela partida de ida da semifinal da Copa do Brasil.

Futebol