PUBLICIDADE
Topo

Futebol

As incoerentes contratações do Vasco da Gama para a série B

Esporte News Mundo (redacao@esportenewsmundo.com.br)

24/08/2021 07h13

Para a disputa da série B em 2021 o Vasco da Gama contratou: Marquinhos Gabriel, Vanderlei, Zeca, Daniel Amorim, Ernando, Morato e Michel, Leo Jaba, Sarrafiore, entre outros jogadores. Desses atletas apenas o goleiro Vanderlei é titular e não sofre com as críticas dos torcedores de forma constante.

Contrato de produtividade

O Vasco nesta essa temporada através do seu diretor de Futebol contratou diversos jogadores pelo o chamado contrato de produtividade, que segundo Alexandre Pássaro é: “Se o jogador ganha 20 mil reais e em 3 meses ele atinge uma produtividade de jogos em ao menos 45 minutos, por 60% dos jogos iremos pagar a ele 60mil reais pelo trimestre”

Quando contratou Ernando o diretor justificou a chegada do reforço porque tinha experiência na competição, citando número de partidas realizadas pelo Bahia também. Por outro lado, trouxe Marquinhos Gabriel, que passou por duas equipes em 2020, e no Cruzeiro fez apenas quatro partidas na série B. Esse é o primeiro ponto da incoerência, o clube não consegue justificar duas contratações dentro da mesma ideia. Se seu zagueiro chegou com uma sequencia boa de partidas, por que o meio-campo é diferente?

Laterais

Um dos maiores problemas dentro de campo no Vasco são suas laterais. Para a esquerda o clube Zeca, que pode atuar na direita e esquerda. Enquanto manteve Leo Matos na direita. O problema é justamente entender qual foi o real proposito da chegada de Zeca. Que assim como Marquinhos Gabriel, mas diferente de Ernando atuou pouco e não tem experiência na série B. Chama atenção outros fatores quando Leo Matos não joga, Zeca é deslocado para a direita e Riquelme entra na esquerda e Michel até mesmo fez a função. E Cayo Tenorio entra muito pouco como titular.

Meio-campo

É nítido a ausência de um camisa 10 ou jogador que arme jogadas no Vasco. Marquinhos Gabriel que foi contratado para ser essa pessoa não atua como um chamado “10” há muito tempo. Sarrafiore que chegou durante a série B também não. Fica a questão e dúvida: O Vasco estudou corretamente antes de trazer esses jogadores?

Qual a necessidade da contratação de Michel que passou quase dois anos sem atuar no Grêmio? Tendo em sua posição Andrey, Galarza, Caio Lopes e Bruno Gomes?

Treinadores

Primeiro o Vasco da Gama apostou em Marcelo Cabo para a disputa da série B. Um treinador que em todos os trabalhos realizados colocava suas equipes atuando de forma reativa, jogando pouco com a bola e saiu bastante nos contras ataques. Quando chega ao Vasco, Cabo tem a pressão para propor jogo e não consegue.

Marcelo Cabo é demitido praticamente na décima terceira rodada e chega Lisca. Ideias parecidas com Cabo? Não, mas também adepto do Futebol reativo e foi assim que fez grandes trabalhos no Ceará e América-MG. Pode propor e mudar seu estilo? Sim. Lisca é capaz disso, assim como Cabo poderia ser, mas o calendário e a pressão por resultados complicam isso. Fica o questionamento se o Vasco não poderia desde o primeiro momento trazer um treinador de ideias mais ofensivas. Ao final do brasileirão de 2020, o mercado sinalizava com Eduardo Barroca e Fernando Diniz.

As formas de cobranças no Futebol mudaram e os torcedores estão mais cientes daquilo que pedem e cobram. O que explica um clube em 2021 contratar tantos jogadores “diferentes” para a mesma ideia? Atletas de nomes em outras equipes, mas que não fazem uma temporada decente há anos. O campo hoje reflete o trabalho inicial ruim que começou em fevereiro, março.

+Opinião: na base ninguém é craque ou pereba; torcedores precisam entender e respeitar os processos

Futebol