PUBLICIDADE
Topo

Ministério da Saúde descarta torcida em jogos na Itália até existir vacina

Juventus comemora gol contra Brescia -  Isabella Bonotto/AFP
Juventus comemora gol contra Brescia Imagem: Isabella Bonotto/AFP

14/04/2020 18h25

A subsecretária do Ministério da Saúde da Itália, Sandra Zampa, garantiu nesta terça-feira que o futebol local só deverá ter a presença de público nas arquibancadas depois que for disponibilizada uma vacina para a covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus e que já matou mais de 20 mil pessoas no país.

"Acho que você pode desistir do futebol por mais um mês. Só veremos estádios cheios quando as condições máximas de segurança estiverem em vigor e tivermos uma vacina", disse a integrante do governo, em entrevista à emissora de TV "Rai News".

Além disso, Zampa garantiu que, em meio ao controle da pandemia, com população confinada e parte dos estabelecimentos comerciais fechados, a modalidade está em segundo plano e que a retomada, certamente, acontecerá com arquibancadas vazias.

"Acredito que esperarmos um mês para jogarmos com portões fechados não será uma catástrofe", afirmou.

Zampa também disse estar disposta a estudar possíveis propostas dos clubes da primeira divisão, que gostariam de retomar os treinamentos a partir do dia 4 de maio e voltar a competir no início de junho.

"Se os clubes conseguirem, estudaremos suas propostas. Não estou dizendo que não, e não me cabe a mim decidir. Mas, não acho que seja uma questão prioritária", enfatizou.

O Campeonato Italiano foi interrompido no dia 9 de março, na 26ª rodada, com a Juventus liderando com 63 pontos, um a mais que a Lazio.