PUBLICIDADE
Topo

Astros do PSG estariam dispostos a ter metade do salário reduzido, diz jormal

09/04/2020 15h28

Paris, 9 abr (EFE).- Os jogadores do Paris Saint-Germain com salários mais altos estariam dispostos a sofrer desconto de 50% nos vencimentos, para compensar as perdas do clube devido a paralisação provocada pela pandemia da Covid-19, segundo publica nesta quinta-feira o jornal "Le Parisien".

O corte afetaria os integrantes do elenco mais bem pagos, embora o veículo de comunicação não tenha divulgado a lista dos afetados. O grupo dos que recebem menos, ainda conforme veicula a publicação, sofreriam reduções menores.

O caso do PSG acontece a partir de um acordo entre a liga que organiza o Campeonato Francês e o sindicato de jogadores, que impede que os cortes salariais sejam impostos pelos clubes.

Além disso, qualquer integrante do elenco poderia recusar a proposta de redução, o que não afetaria a negociação com os companheiros. No Paris Saint-Germain, o "Le Parisien" aponta que o corte de 50% dos astros seria uma forma de dar exemplo para todos os participantes da competição, já que é a folha salarial mais alta.

Segundo o acordo que está para ser divulgado pela liga e o sindicato de atletas, a redução de metade dos vencimentos poderia atingir os que ganham 100 mil euros (R$ 566 mil) ou mais por mês.

Além disso, os que ganham abaixo disso, até 50 mil euros (R$ 283 mil), poderão ser cortados em 40%. Na faixa inferior, que começa em 20 mil euros (R$ 113,2 mil), em 30%; e abaixo disso, começando em 10 mil euros (R$ 56,6 mil), em 20%.

Os que recebem menos que 10 mil euros não sofrerão redução salarial, conforme aponta o acordo, que prevê uma recuperação das perdas dos jogadores, caso a temporada que foi paralisada seja retomada nos próximos meses.

Com relação ao Paris Saint-Germain, o "Le Parisien" aponta que o clube deverá sofrer perda de receitas estimada em 300 milhões de euros (R$ 1,7 bilhão), devido a suspensão das competições por causa da pandemia da Covid-19. EFE

lmpg/bg

Esporte