PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Em áudio, líder de "barra brava" do River nega ter liderado ataque a ônibus

Ônibus do Boca Juniors é atingido por pedras atiradas por torcedores do River Plate - Reprodução
Ônibus do Boca Juniors é atingido por pedras atiradas por torcedores do River Plate Imagem: Reprodução

27/11/2018 08h30

A imprensa argentina divulgou na segunda-feira (26) um áudio atribuído a Héctor 'Caverna' Godoy, um dos líderes da "barra brava" do River Plate, no qual ele nega ter organizado o ataque aos jogadores de Boca Juniors do último sábado como represália por uma batida da polícia na sua casa.

"Quero dizer que após a operação de sexta-feira, ocorrida no meu domicílio, me pus imediatamente à disposição da Justiça por intermédio do meu advogado", se escuta no áudio divulgado pela emissora "A24".

"A respeito do episódio (de sábado) sou absolutamente alheio a qualquer tipo de atuação da qual pretendem me acusar. Gravo este áudio a fim de esclarecer minha situação e desmentir (...) os que me apontam como o autor do lamentável episódio", acrescenta a pessoa no áudio.

Leia mais


Os governos da Argentina e de Buenos Aires indicam que o ataque dos torcedores do River contra o ônibus que transferia os jogadores do Boca, que deixou vários feridos, foi organizado pelas chamadas 'barras bravas' (torcidas organizadas violentas) e que tiveram relação com a apreensão na sexta-feira passada de 300 ingressos para o jogo e 7 milhões de pesos (US$ 180.000) na casa de Godoy.

Nesta segunda-feira também foi realizada uma operação no estádio Monumental para tentar comprovar se as entradas achadas na casa do líder da organizada saíram do próprio clube.

Por conta do episódio, a final da Copa Libertadores entre Boca Juniors e River Plate foi adiada. Uma renião nesta terça-feira (27) tentará definir uma nova data para o duelo.

Esporte