PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Boca e Palmeiras se reencontram nas semifinais da Libertadores

23/10/2018 20h41

Buenos Aires, 23 out (EFE).- Adversários na fase de grupos desta edição da Taça Libertadores, Boca Juniors e Palmeiras voltarão a se enfrentar outras duas vezes no torneio, a primeira delas nesta quarta-feira, no estádio La Bombonera, em Buenos Aires, agora pelas semifinais.

O Alviverde dominou o grupo 8 da competição e se classificou de maneira invicta, com cinco vitórias, uma delas sobre o Boca na capital argentina, e um único empate, justamente contra o hexacampeão continental no Allianz Parque.

Já a equipe 'xeneize' teve problemas e garantiu classificação para as oitavas apenas na última rodada e com uma ajudinha do agora adversário. O time dirigido por Guillermo Barros Schelotto só passou de fase porque goleou o Alianza Lima e contou com uma derrota do Junior Barranquilla para a equipe paulista, na época ainda dirigida por Roger Machado.

Entretanto, na visão dos jogadores palmeirenses, o fato de ter levado vantagem na fase anterior não torna o eneacampeão brasileiro favorito para chegar à decisão.

"Vai ser totalmente diferente. No mata-mata, tudo que passou até agora é apagado. O gol como visitante é importantíssimo, e o Palmeiras tem que ir em busca desse gol, que faz uma grande diferença para o segundo jogo. Mas sabemos que vamos enfrentar uma equipe totalmente diferente à daquele jogo (vitória na Bombonera) e que é uma semifinal de Libertadores", declarou o zagueiro Edu Dracena em entrevista coletiva.

"É um jogo difícil. Todos sabem que o Boca tem uma excelente equipe e que é muito forte em sua casa. Vamos tentar fazer um excelente jogo e tentar impor o nosso futebol", disse, por sua vez, o lateral-direito Mayke.

Mayke provavelmente será titular, já que Luiz Felipe Scolari não conta com Marcos Rocha, que machucou a panturrilha. Jean, que também joga na lateral, está com um desconforto muscular e também será desfalque, assim como o atacante Artur, outro entregue ao departamento médico. O restante do elenco está à disposição do técnico, incluindo o atacante Borja, um dos artilheiros desta Libertadores, com nove gols.

Algoz do Palmeiras na final de 2000 e nas semifinais no ano seguinte, o Boca quer repetir o feito, mas, assim como do adversário, fugiu do rótulo de favorito.

"Acredito que não há vantagem em relação ao Palmeiras. Imagino que vão ser dois jogos fechados. Nós os conhecemos e sabemos a qualidade dos jogadores que eles têm, assim como eles sabem da qualidade dos jogadores do Boca", disse Schelotto.

"Já temos muito tempo de trabalho e estamos chegando ao objetivo principal, que é a final da Libertadores. Faltam dois passos. A torcida sempre apoiou, apesar de alguns resultados, e não tenho dúvidas de que na quarta-feira a Bombonera vai explodir. Vamos nos matar por esta camisa", acrescentou o ex-atacante.

Schelotto escalou os reservas no empate com o Rosario Central em 0 a 0 no último sábado, pelo Campeonato Argentino, no qual os 'xeneizes' estão em quinto lugar, a cinco pontos do líder Racing. Dessa forma, com os titulares descansados, o único desfalque é o goleiro Andrada, fora de combate desde o choque com o zagueiro Dedé, do Cruzeiro, em partida de ida pelas quartas de final.



Prováveis escalações:.

Boca Juniors: Rossi; Jara, Izquierdoz, Magallán e Olaza; Nández, Barrios e Pérez; Pavón, Zárate e Benedetto. Técnico: Guillermo Barros Schelotto.

Palmeiras: Weverton; Mayke, Antonio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Thiago Santos, Bruno Henrique e Moisés; Dudu, Willian e Borja. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Árbitro: Roberto Tobar (Chile), auxiliado pelos compatriotas Christian Schiemann e Claudio Ríos.

Estádio: La Bombonera, em Buenos Aires.

Esporte