PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Biatletas cazaques são detidos e liberados na Áustria após exames antidoping

15/02/2017 17h30

Redação Central, 15 fev (EFE).- A federação de biatlo do Cazaquistão (KBF) e o comitê olímpico do país (KNOC) emitiram nesta quarta-feira um comunicado conjunto no qual informam que dez de seus atletas foram detidos na Áustria e liberados sem acusações na sequência após terem sido submetidos a exames antidoping que deram resultados negativos.

As detenções, feitas pela polícia federal criminal da Áustria, aconteceram há uma semana por ocasião do Mundial da modalidade, realizado na cidade de Hochfilzen.

Os dez biatletas foram submetidos a exames que seguiram os procedimentos definidos pela Agência Mundial Antidoping (Wada) na busca de todas as substâncias proibidas, e nenhum acusou algo proibido.

"Este resultado não surpreendeu nem à KBF nem ao KNOC, já que a proteção dos desportistas limpos e a luta contra o doping em todas as suas formas continua sendo a prioridade de todos os estamentos antidoping do Cazaquistão", diz a nota.

As duas entidades destacaram seu apoio às autoridades austríacas e à Federação Internacional de Biatlo (IBU), mas denunciam que nas detenções "foram vulnerados os direitos fundamentais" dos atletas, que, segundo elas, não tiveram garantida a presunção de inocência.

"Houve contínuos interrogatórios até as cinco da manhã, o que lhes causou cansaço e stress, o que repercutiu em seu rendimento na prova de revezamento, disputada no dia seguinte", denunciaram.

"Queremos que as autoridades austríacas e a IBU investiguem todo o processo e o tratamento aos desportistas cazaques para que isso não volte a acontecer", acrescentaram.

Esporte