Brasileiro Arthur Cabral pede desculpas por fazer gesto obsceno à torcida do Benfica

O atacante brasileiro Arthur Cabral, ex-Palmeiras e ex-Ceará, veio a público neste sábado para se desculpar pelo gesto obsceno que fez para a torcida do Benfica, na noite de sexta-feira, em Portugal. O time de Lisboa vive momento difícil na temporada, sendo alvo constante de sua torcida pelos resultados recentes.

"Fala pessoal, estou aqui para falar sobre o ocorrido de ontem (sexta). Ao ver as imagens do que aconteceu, posso dizer que estou ainda mais arrependido. Sei que não tem sido fácil este início no Benfica, sei que o torcedor esperava muito mais de mim. Eu também esperava muito mais, mas posso dizer que tenho trabalhado muito, todos os dias, sabendo que posso entregar muito mais", comentou o atacante, em vídeo publicado no site do Benfica.

Cabral mostrou o dedo do meio para torcedores quando saía de carro do estádio da Luz, ainda no estacionamento. O brasileiro chegou ao clube de Lisboa no início da atual temporada e soma apenas dois gols em 16 jogos. No empate contra o Farense, ele entrou apenas aos 44 minutos do segundo tempo.

"Após a partida, após mais um resultado negativo, saí do estádio de cabeça muito quente, realmente de infelicidade, e, infelizmente, após ser insultado ao lado da minha família, eu não consegui me controlar, tive uma atitude que não é nem um pouco certa, muito longe disso. Peço desculpas, sei que errei. Estou realmente muito arrependido e garanto que nada parecido com isso voltará a acontecer. O que posso dizer é que continuarei trabalhando ao lado dos meus companheiros para colocar o Benfica no lugar dele e alcançar todos os nossos objetivos, que, com certeza, é ser campeão no final da época (temporada)", afirmou.

Irregular neste início de temporada, o Benfica vem de três empates consecutivos, um deles na fase de grupos da Liga dos Campeões. Apesar dos tropeços, é o vice-líder do Campeonato Português. Na noite de sexta, o técnico alemão Roger Schmidt foi alvo de muitas críticas dos torcedores, que chegaram a pedir a contratação de Abel Ferreira, técnico do Palmeiras.

O desejo da torcida, porém, dificilmente será concretizado, mesmo que Schmidt não continue no cargo. Na sexta, Abel reforçou que será técnico do Palmeiras até dezembro de 2024, quando encerra o contrato com o clube. No ano passado, o vínculo foi estendido. Agora, foi oferecida a renovação de três anos, mais aumento salarial e pagamento de bonificação. No entanto, Abel não aceitou negociar e pretende apenas cumprir a próxima temporada.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes