PUBLICIDADE
Topo

Esporte

"Estrangeiro" em seu país, Moicano aposta em aumento de popularidade após luta com Aldo

Gaspar Bruno, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

15/01/2019 08h00

Em aproximadamente duas semanas, Renato 'Moicano' terá pela frente o maior adversário de sua carreira: Jose Aldo. Os brasileiros se enfrentarão no Centro de Formação Olímpica, no dia de 2 fevereiro, em Fortaleza. E às vésperas do confronto mais importante de sua carreira, o peso-pena (66 kg) brasiliense admitiu, em entrevista exclusiva à equipe da Ag Fight, que será uma espécie de "estrangeiro" no primeiro card do Ultimate no Brasil em 2019.

Isso, de acordo com o próprio Renato, se deve a considerável disparidade no nível de popularidade entre ele e Aldo no Brasil. Afinal de contas, o rival já foi campeão do UFC por um longo período, é um ídolo nacional e teve até sua história de vida transformada em filme nos cinemas. Portanto, o desejo de Moicano é, principalmente, se tornar um nome mais conhecido em seu país após enfrentar um rival de maior fama.

"Minha popularidade com relação a dele é insignificante. Com certeza, assim que me falaram (da luta) eu pensei: 'Olha que engraçado, vou ser como se fosse um estrangeiro em meu próprio país'. Com certeza a torcida vai estar toda a favor do Aldo, nem tem como ser diferente. O Aldo é um cara que todos conhecem a história dele, não somente a história da luta, mas também a própria superação de vida dele. Mas no final das contas a gente resolve mesmo na luta, então não me importo muito com torcida não. Sei que depois da luta, o pessoal vai me conhecer mais. Vejo esse UFC aí como uma vitrine para o meu trabalho. As pessoas vão conhecer o Renato 'Moicano', vão saber quem é ele dia 2 de fevereiro. É com isso que eu estou contando, que a torcida vai ser toda contra mim, mas não faz diferença. No final das contas a gente vai resolver isso no ringue", revelou Renato.

Além de elogiar o legado de seu próximo rival, Moicano afirmou que o ex-campeão possui golpes mais potentes que o dele dentro do octógono. Dono de um estilo de luta mais cadenciado e cerebral, o brasiliense aproveitou para escolher a forma com que preferiria liquidar a fatura contra o explosivo Aldo.

"É muito difícil falar isso. Como eu venho do jiu-jitsu, eu gosto muito de finalização. O mestre do meu professor, faixa-vermelha, mestre Armando, uma vez falou isso: 'O jiu-jitusu é tão bom que ele dá a chance do seu adversário se entregar antes de você machucar ele'. Diferente do nocaute, quando você nocauteia o cara, ele cai lá machucado. Finalização é um modo bem contundente de se vencer, então finalizar (o Aldo) seria bom, mas o que importa é vencer", ponderou o peso-pena, em conversa com a Ag Fight.

Aos 29 anos, Moicano vive o auge de sua carreira e é o atual número 5 na divisão dos penas. Já Aldo tenta emendar uma sequência de vitórias para retomar o trono de rei da categoria até 66 kg que já foi seu de maio de 2011 até dezembro de 2015. O 'Campeão do Povo' figura na segunda posição do ranking oficial do Ultimate.

Esporte