PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Jon Jones diz que menosprezou boxe de Gustafsson em 1ª luta

Jon Jones e Gustafsson posam como adversários em 2013; americano quase foi superado pelo sueco - AP Photo/The Canadian Press, Mark Blinch
Jon Jones e Gustafsson posam como adversários em 2013; americano quase foi superado pelo sueco Imagem: AP Photo/The Canadian Press, Mark Blinch

Ag. Fight

27/12/2018 10h57

O peso de ser o maior lutador da história da categoria meio-pesado (93 kg) - e, para muitos, do MMA - não é pequeno. E, mesmo diante do seu passado tão grandioso quanto polêmico e da aproximação da luta contra Alexander Gustafsson, neste sábado (29), Jon Jones declarou que se imbuiu de mais uma missão: provar no UFC 232 que a equipe Jackson-Wink MMA é acima da média em revanches. Além disso, o atleta revelou que minimizou a importância do boxe na preparação para o primeiro encontro com o sueco, em 2013.

Durante o segundo episódio do programa UFC Embedded, que promove os principais eventos da organização, 'Bones' mostrou para as câmeras do Ultimate um de seus últimos treinos antes do confronto contra o sueco. O ex-campeão meio-pesado dançou ao som de Bob Marley, cujas músicas classificou como capazes de "animá-lo imediatamente", e fez um treino de boxe. 

Jon, inclusive, contou que menosprezou a modalidade antes do primeiro embate com Gustafsson, em 2013, quando venceu por decisão unânime depois de ficar em desvantagem nos rounds iniciais.

"Na primeira vez que lutei contra Alexander Gustafsson, acho que fui arrogante, cara. Eu não respeitei o boxe. Qualquer um conseguia boxear. O 'Rampage' boxeava, o Vitor Belfort boxeava. Mas ele tem um nível de boxe diferente. Dessa vez será diferente", disse.

Jones ainda afirmou que pretende mostrar a qualidade de sua equipe em desforras contra grandes oponentes. O americano citou, ainda que indiretamente, o nocaute contra Daniel Cormier, em 2017 - vitória que acabou transformada em 'no contest' depois de a USADA (agência antidoping americana) revelar que 'Bones' havia falhado em um exame antidoping.

"Essa equipe parece se sair bem em revanches. Nós só tivemos uma, mas eu acredito que nossos adversários ficam em apuros em revanches. Eu preciso provar que isso é verdade", falou.

A segunda edição do programa pré-UFC 232 ainda mostrou uma reunião entre os amigos e parceiros de treino de Gustafsson, o relaxamento de Amanda Nunes com uma massagista e um treinamento de Cris 'Cyborg'. As brasileiras ficarão frente a frente na disputa do título peso-pena (66 kg) do Ultimate, hoje nas mãos desta última.

Esporte