PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Anderson Silva planeja aposentadoria após reconquistar cinturão do UFC

Anderson Silva já traçou o plano "ideal" para a reta final da carreira no MMA - Buda Mendes/Getty Images
Anderson Silva já traçou o plano "ideal" para a reta final da carreira no MMA Imagem: Buda Mendes/Getty Images

Amanda Lourenço, em Los Angeles (EUA)

Ag. Fight

19/12/2018 17h54

Dana White, presidente do UFC, já anunciou que Anderson Silva disputará o cinturão caso derrote Israel Adesanya no dia 9 de fevereiro. E, "em um mundo perfeito", nas palavras do peso-médio (84 kg) brasileiro, ele venceria o combate contra o nigeriano, lutaria contra o campeão da categoria e se aposentaria após conquistar novamente o título que deteve por quase oito anos.

Aos 43 anos, o ex-campeão dos médios pode encerrar a carreira em 2019, após mais de 12 anos de UFC. No entanto, conforme destacou durante entrevista coletiva concedida em sua academia, em Los Angeles (EUA), Anderson Silva primeiro focará no duelo contra Adesanya, já que o nigeriano, invicto com 15 triunfos na carreira profissional no MMA, tentará estragar os seus planos.

"Acredito que, em um mundo perfeito, Anderson Silva luta pelo cinturão, leva o cinturão e depois se aposenta. Mas eu preciso me concentrar nessa luta primeiro. Esse é o segundo passo. Vamos ver, porque o futuro é muito curto", projetou o ex-campeão dos médios, em entrevista na academia 'Spider Kick'.

Campeão do Ultimate de 2006 - quando conquistou o cinturão ao superar Rich Franklin - a 2013 - data em que sucumbiu diante de Chris Weidman -, Anderson não entra no octógono mais famoso do mundo desde fevereiro de 2017, ocasião em que triunfou sobre Derek Brunson. Ao final daquele ano, ele foi flagrado pela segunda vez em um exame antidoping e acabou suspenso.

Livre para competir desde o dia 10 de novembro, o brasileiro voltará à atividade contra Adesanya em busca do que seria a sua 35ª vitória em 44 combates como profissional no MMA. Apesar da carreira vitoriosa, o 'Spider' estava longe de viver a sua melhor fase quando foi afastado do octógono, já que acumulou quatro derrotas nas últimas seis lutas no UFC.

Esporte