PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Marina Rodriguez comemora estreia contra lutadora ranqueada no UFC São Paulo

Gaspar Bruno, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

18/09/2018 07h00

Marina Rodriguez definitivamente vive o melhor momento de sua carreira. Com apenas três anos como profissional de MMA, a atleta, que venceu seu compromisso no reality show 'Contender Series Brasil', garantiu uma vaga na maior organização de artes marciais mistas do mundo. E logo em sua estreia no UFC, a gaúcha enfrentará Randa Markos, atual 13ª no ranking oficial dos pesos-palhas (52 kg) do Ultimate.

A brasileira admitiu, em entrevista exclusiva à Ag Fight, que não esperava uma rival ranqueada já em sua debute pelo UFC. No entanto, a atleta, que representa a equipe Thai Brasil, enxergou esse combate contra uma atleta mais experiente como algo positivo, uma vez que o duelo trará visibilidade para sua carreira. Apesar da surpresa, um compromisso de 'peso' no Ultimate era de se esperar, pois em sua participação no Contender, Rodriguez demonstrou potencial e surpreendeu o chefão da organização, Dana White.

"Não esperava assim, na verdade. Mas quando veio o nome dela eu fiquei bem feliz, porque já é uma atleta ranqueada e que vai dar um pouco mais de visibilidade para nossa luta. E isso é legal, é importante, porque a gente precisa ser vista, precisa conquistar um certo apelo, até patrocínios. Porque para cada camp a gente gasta muito dinheiro, treino, dieta. Então a gente pensou que lutar agora com uma menina ranqueada ia dar uma visibilidade bem grande para buscar esses recursos também, que é o que o atleta precisa para realizar o trabalho 100% em alto nível", admitiu Marina.

"Então se a gente conseguiu chegar aqui com dez lutas e dez vitórias, sem nada, tirando tudo do bolso, creio que daqui para frente vai ser bem melhor, porque vamos ter recursos. Imagina se eu ganho agora, nocauteio, levo bônus da noite? Aí sim, para frente o nível vai aumentar com certeza", analisou a mais nova peso-palha do UFC, em conversa com a Ag Fight.

Apesar de enfrentar uma atleta com mais rodagem no esporte no próximo sábado (22), em São Paulo, Marina afirmou que o objetivo para a luta é buscar o nocaute. E de fato, dona de um variado arsenal de golpes em pé, a gaúcha possui na trocação o seu carro-chefe. Inclusive, foi desta forma agressiva que Rodriguez obrigou sua adversária no Contender Brasil a desistir da luta.

"O objetivo maior dessa luta é o nocaute. Com certeza a gente fez uma estratégia minuciosa de como ela vai agir, todas as possibilidades que ela vai ter na luta, mas o objetivo é nocautear, mas com inteligência. Sentir a luta devagarinho, ver o que ela vai querer fazer. Pode ser que ela tente ficar em pé, e eu fique mais próximo do nocaute. Pode ser que seja por pontos, porque não vou entregar a luta assim tão rápido, mas o objetivo maior é o nocaute mesmo", projetou a lutadora, que também apontou como objetivo ganhar um dos prêmios de performance da noite.

Uma estreia contra uma atleta ranqueada e mais experiente pode ser vista como uma 'enrascada', mas, pelo que declarou, não é dessa maneira que Marina encara sua situação. A gaúcha enxerga com bons olhos o confronto contra Randa, pois de acordo com ela, enfrentar lutadoras de renome é primordial para alcançar seu maior objetivo dentro do UFC: o cinturão das pesos-palha.

"Não sei, porque não sei como está funcionando o ranking. Vi que há um tempo atrás tinham algumas meninas descontentes com relação ao ranking. Mas para mim é melhor porque a gente não quer entrar no UFC para ser uma das lutadoras que tem lá, que é a categoria mais concorrida que tem hoje no feminino. Então a gente não quer entrar para ser uma no meio de um monte, queremos entrar para fazer a diferença lá dentro. E nosso objetivo é ir atrás do cinturão. Não tem porque eu querer entrar no UFC, fazer uma luta, tirar férias, curtir. Não, a gente quer lutar, se preparar mais, e ir em busca do cinturão, que é o objetivo maior na carreira em si", declarou a gaúcha.

Aos 31 anos, Marina detém um cartel perfeito como lutadora de MMA, com dez vitórias. Profissional há apenas três anos, a atleta impressiona pelo seu muay thai alinhado e estilo agressivo. No próximo sábado, no UFC São Paulo, Rodriguez passará pelo seu maior teste da carreira, e uma vitória pode credenciá-la como uma das maiores promessas da organização.

Esporte