PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Djokovic foi a evento sem máscara um dia após positivo para covid

Djokovic foi a evento sem a máscara, mesmo após testar positivo para Covid-19 - Reprodução/Facebook
Djokovic foi a evento sem a máscara, mesmo após testar positivo para Covid-19 Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

08/01/2022 17h20

A polêmica envolvendo a (não) vacinação do tenista Novak Djokovic contra a Covid-19 ganhou mais um capítulo. Neste sábado (8), a imprensa mundial descobriu que o atleta compareceu a um evento um dia após testar positivo para o novo coronavírus. No lançamento de uma série de selos em sua homenagem no dia 17 de dezembro, Djoko foi fotografado sem máscara e interagindo com jovens que estavam no local.

Através de documentos judiciais, os advogados de Djokovic revelaram que o tenista testou positivo para a Covid-19 no dia 16 de dezembro de 2021, um dia antes das fotos sem proteção. A data do teste positivo faz parte da defesa do tenista na tentativa de entrar na Austrália. Um dos argumentos para que o jogador tenha seu visto aprovado (e consequentemente possa participar do Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada, que começa na próxima semana), seria que ele teve covid há pouco tempo.

O sérvio está em isolamento em Melbourne, na Austrália, desde sua chegada ao país, na última quarta-feira. Djokovic se recusa a ser vacinado contra a covid e viajou após receber uma isenção para entrar no país dos organizadores do Australian Open. A imigração, porém, rejeitou os documentos e o órgão que emitiu a isenção posteriormente retirou a autorização.

Entenda o caso

A entrada de Djokovic na Austrália tem sido motivo de debate há semanas, já que o sérvio se recusa a comprovar se foi vacinado contra o coronavírus. Várias autoridades locais passaram os últimos dias reiterando que o tenista só entraria no país se apresentasse o esquema vacinal.

No entanto, o Australian Open concedeu a Djokovic uma exceção médica para jogar mesmo sem comprovar sua vacinação. A decisão de deixar o sérvio entrar no país teria sido tomada em conjunto com um órgão do Ministério da Saúde australiano. Apesar disso, quando desembarcou, foi barrado pelo serviço federal. Foram oito horas de indefinição sobre a entrada ou não do tenista na Austrália até a definição de que ele não poderia entrar no país — o tenista acabou levado a um centro de detenção, onde está desde então.

O primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, usou suas redes sociais para comentar sobre o cancelamento do visto do tenista. "O visto de Djokovic foi cancelado. Regras são regras, especialmente quando se trata de nossas fronteiras. Ninguém está acima dessas regras. Nossas fortes políticas de fronteira têm sido fundamentais para que a Austrália tenha uma das taxas de mortalidade mais baixas do mundo devido à COVID. Continuamos vigilantes", escreveu.

Mr Djokovic's visa has been cancelled. Rules are rules, especially when it comes to our borders. No one is above these rules. Our strong border policies have been critical to Australia having one of the lowest death rates in the world from COVID, we are continuing to be vigilant.

-- Scott Morrison (@ScottMorrisonMP) January 5, 2022

O pai do jogador, Srdan Djokovic, chegou a dizer que uma deportação de seu filho seria um ato político. Na última sexta-feira, 07, o governo da Austrália desmentiu que Djokovic esteja "preso" ou sendo "mantido em cativeiro" no hotel, como alegaram os pais do atleta. A ministra do Interior australiana, Karen Andrews, disse que Djokovic é livre para deixar a Austrália na hora que quiser.

Neste sábado, os advogados do atleta alegam que a isenção médica que foi dada a Djoko foi pelo teste positivo do dia 16. "A data do primeiro teste de PCR positivo para covid-19 (de Djokovic) foi registrada em 16 de dezembro de 2021", diz o comunicado revelado pela mídia australiana.

No documento enviado ao tribunal australiano, os advogados do tenista ressaltam que "já haviam se passado 14 dias desde o teste de PCR positivo e que o atleta não apresentava febre ou sintomas respiratórios de covid-19" nas 72 horas anteriores. "O Sr. Djokovic recebeu, em 30 de dezembro de 2021, uma carta do diretor médico da Tennis Australia registrando que ele havia recebido uma 'isenção médica de vacinação' porque havia se recuperado recentemente da covid-19".

Não há previsão para definição do caso, mas o Aberto da Austrália começa no próximo dia 17.

Caso seja liberado para entrar em quadra, Djokovic terá a oportunidade de se tornar o tenista (entre os homens) com mais títulos de Grand Slams na história da modalidade. No momento ele está empatado com Rafael Nadal e Roger Federer, com 20 conquistas cada.

Esporte