PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Marlon sofreu com "derrota dolorida" pelo cinturão e busca nova chance

Henry Cejudo e Marlon Moraes trocam golpes no UFC 238 - Rey Del Rio/Getty Images
Henry Cejudo e Marlon Moraes trocam golpes no UFC 238 Imagem: Rey Del Rio/Getty Images

Flavio Latif

Do UOL, em São Paulo (SP)

23/09/2021 04h00

No próximo sábado (25), Marlon Moraes entrará no octógono do UFC pela primeira vez em 2021 —em janeiro deste ano, ele passou por uma cirurgia no ombro para resolver um incômodo que sentia na região e, por isso, não lutou ainda. Ele encara Merab Dvalishvili, que vem de seis vitórias consecutivas na organização. O brasileiro, por sua vez, tem três derrotas nas últimas quatro lutas.

Em entrevista ao UOL Esporte, o lutador nascido em Nova Friburgo, no Rio de Janeiro, afirmou que a derrota para Henry Cejudo no UFC 238, pelo cinturão do peso galo (até 61,2 kg), em junho de 2019, afetou seu desempenho no MMA nos últimos anos. Agora, o objetivo do atleta é retomar o caminho das vitórias para voltar a ter uma nova chance de brigar pelo cinturão de sua categoria.

"Eu tive uma derrota muito dolorida contra o Cejudo, estava em uma sequência de vitórias muito boa e acabei não conseguindo conquistar o cinturão. Ela [a derrota] me atrapalhou muito, fiquei por um bom momento desapontado de não ter vencido. Depois disso, eu e minha equipe juntamos tudo que nós tínhamos e voltamos em busca da recuperação, mas, infelizmente, a sequência de vitórias não veio", afirmou.

"Eu não credencio isso aos meus erros, mas também à qualidade dos meus oponentes, nunca peguei uma luta fácil no UFC. Quando você luta com alguém que é do mesmo nível que o seu, a chance de perder é muito maior. Eu evoluí muito, principalmente no último ano, estou retornando de uma lesão, me sinto muito bem preparado para essa luta, me sinto bem focado, sei o que preciso fazer para ganhar. Está tudo em mim, é chegar na luta e ser o Marlon, o melhor Marlon, melhor até do que fui antes de ter a chance da luta pelo cinturão", acrescentou.

Após a derrota para Cejudo, Marlon enfrentou três oponentes: José Aldo, Cory Sandhagen e Rob Font —ele venceu apenas seu compatriota e foi nocauteado pelos dois lutadores americanos. Sua última derrota, contra Font, foi no dia 19 de dezembro de 2020 e até hoje ele não voltou ao combate. Mesmo assim, o carioca de 33 anos acredita que conhece o caminho que pode recolocá-lo entre os postulantes ao título: vencer.

Marlon - Stephen R. Sylvanie/USA TODAY Sports - Stephen R. Sylvanie/USA TODAY Sports
Marlon Moraes venceu José Aldo por decisão dividida no UFC 245
Imagem: Stephen R. Sylvanie/USA TODAY Sports

"Eu estou muito focado em vencer a minha luta, a consequência de ter uma boa atuação é conseguir uma boa luta na sequência. Quero estar ativo, lutar mais vezes, essa vai ser a minha primeira luta em 2021, quero tentar pelo menos fazer três lutas por ano. Acredito que as vitórias vão levar ao título. Não posso pensar no título sem antes vencer meus combates", concluiu.

Marlon fará a última luta do card preliminar contra Merab Dvalishvili no UFC 266, que tem como luta principal Alexander Volkanovski defendendo o título do peso-pena contra Braian Ortega. O evento que acontece na T-Mobile Arena, em Las Vegas, começa a partir das 19h (de Brasília).

Esporte