PUBLICIDADE
Topo

Quase 40% estão mais ativos em exercícios na quarentena, diz pesquisa

Mulher faz exercício físico em casa vendo aula no notebook: virou rotina em tempos de quarentena - jacoblund/Getty Images/iStockphoto
Mulher faz exercício físico em casa vendo aula no notebook: virou rotina em tempos de quarentena Imagem: jacoblund/Getty Images/iStockphoto

Gabriel Carneiro

Do UOL, em São Paulo

03/06/2020 04h00

As medidas de distanciamento social adotadas por orientação de autoridades de saúde no combate à pandemia do coronavírus mudaram a rotina das pessoas pelo mundo. A política de quarentena decretada em diversas cidades diminuiu o fluxo nas ruas - em São Paulo, a decadente taxa de isolamento foi de 47% na última segunda-feira (1). Mesmo diante deste cenário, os exercícios físicos não saíram do cotidiano.

Pelo contrário: um estudo realizado com mais de 14 mil pessoas entre 18 e 64 anos identificou que 36% estão mais ativos fisicamente agora do que eram antes da pandemia.

A pesquisa foi realizada pela marca esportiva "ASICS", que ouviu praticantes regulares de corrida em 12 países diferentes, inclusive o Brasil, e também usou a base de dados do aplicativo "Runkeeper". No mês de abril, por exemplo, o app teve aumento de 252% em registros e 44% em atividade de usuários no mundo em comparação com abril de 2019.

Luisa Sonza e Mari Maria - Divulgação - Divulgação
Luisa Sonza e Mari Maria são embaixadoras da marca esportiva
Imagem: Divulgação

A conclusão deste estudo é que "o mundo se apaixonou pela corrida em meio ao confinamento." "Numa época em que tantas pessoas se sentem presas ou confinadas, a corrida oferece uma experiência física direta de liberação. Faz todo o sentido que pessoas do mundo todo tenham voltado a correr durante esta crise. Quando você corre, você literalmente se sente avançando na vida", diz Kelly McGonigal, professora da Universidade americana de Stanford participante do levantamento.

O estudo chegou a outras conclusões:

  • 75% das pessoas dizem que é mais importante se exercitar como consequência da pandemia;
  • para 86% dos brasileiros, os exercícios ajudam a lidar mentalmente com o quadro atual;
  • também no Brasil, 88% das pessoas se sentem mais saudáveis e com sensação de controle;
  • de acordo com 81% das pessoas que participaram do estudo, correr clareia as ideias;
  • por fim, 73% desejam continuar correndo tanto quanto agora após o término da quarentena.
A pesquisa realizada em Austrália, Brasil, China, França, Alemanha, Índia, Itália, Japão, Rússia, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos faz parte de um conjunto de iniciativas da ASICS.
ONG - Divulgação - Divulgação
ONG AEC Kauê de Itaquera, Zona Leste de São Paulo, tem pista de 200 m na frente da sede
Imagem: Divulgação
Uma das ações é a doação de R$ 40 mil à ONG AEC Kauê de Itaquera, Zona Leste da capital paulista, que desenvolve inclusão social pelo esporte.
Além disso, 30 atletas profissionais com registro na CBAT (Confederação Brasileira de Atletismo) receberão doação de kits de produtos da marca como forma de abrandar o impacto econômico causado pela pandemia no esporte e auxiliar nos treinos enquanto não há provas.

Esporte