PUBLICIDADE
Topo

"Atletas sobrevivem desde que tenha UTIs livres", diz infectologista da USP

O tenista brasileiro Thiago Wild foi infectado pelo Coronavírus e está em isolamento - Lucas Balduíno/CBT
O tenista brasileiro Thiago Wild foi infectado pelo Coronavírus e está em isolamento Imagem: Lucas Balduíno/CBT

Beatriz Cesarini e Karla Torralba

Do UOL, em São Paulo

25/03/2020 12h41

"Os atletas sobrevivem desde que tenha UTIs disponíveis". Essa é a fala da professora Ester Sabino, infectologista e pesquisadora do Instituto de Medicina Tropical da USP e uma das responsáveis pelo sequenciamento do novo coronavírus, após o discurso do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em rede nacional ontem (24). Durante a fala, Bolsonaro afirmou que seu passado de atleta o ajudaria num eventual caso de contração da Covid-19. A profissional esclareceu ao UOL Esporte que praticantes de atividades físicas, mesmo os esportistas de elite, podem ser infectados e terem o quadro de saúde agravado caso sejam contagiados.

"Mesmo com um pulmão mais desenvolvido, o atleta de alto rendimento também pode ter um caso agravado de Covid-19. A proporção é menor. Em geral, atletas sobrevivem desde que tenha Unidades de Terapia Intensiva disponíveis. Se não tiver, vão morrer em casa. Não podemos ter todos doentes ao mesmo tempo", declarou a doutora Ester Sabino.

Na noite de ontem, Bolsonaro mostrou sua insatisfação com o isolamento social determinado por muitos governos estaduais e apontou que, mesmo pertencendo ao grupo de risco por ter 65 anos de idade, estaria protegido do coronavírus por ter sido um esportista.

"No meu caso particular, pelo meu histórico de atleta, caso fosse contaminado pelo vírus não precisaria me preocupar, nada sentiria ou seria quando muito, acometido de uma gripezinha ou resfriadinho", disse o presidente.

Ainda de acordo com a médica Ester Sabino, o atleta, além de estar sujeito a sofrer um quadro grave de Covid-19, pode transmitir o vírus a outras pessoas mesmo quando assintomático. Por esse motivo, o isolamento social é extremamente importante.

"As pessoas mais jovens e não obesas têm risco menor de desenvolver a doença, mas pegam o vírus igual e podem transmitir mesmo estando assintomáticos. O risco ao se dizer que um atleta ou jovem pode se despreocupar e sair de casa é de os casos aumentarem drasticamente e não termos lugares na UTI. Mesmo jovens, algumas vezes, precisam da terapia intensiva. Se todos precisarem ao mesmo tempo, não vai ter lugar na UTI para os jovens", alertou a infectologista.

Atletas com coronavírus sofrem com doença

É grande a lista de atletas que confirmam terem sido diagnosticados com o coronavírus. O último foi o tenista brasileiro de 20 anos Thiago Wild, que, abatido, publicou um vídeo de alerta nas redes sociais.

"Acabei contraindo Covid-19, o resultado saiu hoje. Uns dias atrás eu tive sintomas febre e um pouco gripado, daqui a pouco o período de incubação vai passar, mas estou bem. Estou passando pra alertar que tem que ficar em casa e tomar cuidado com isso. É uma doença séria que pode ser controlada com a força de todos", disse Thiago.

Na Espanha, Jonathas Jesus, do Elche-ESP, sofreu com a doença. "Foi uma dor muito forte nos primeiros dias. Eu que sou atleta. Imagina numa pessoa de idade. Meu corpo e cabeça doeram muito. O meu corpo estava um caco principalmente nos três dias. Eu não tinha força pra nada. Tomando banho quase desmaiei. Não é brincadeira", contou em entrevista ao Esporte Espetacular da TV Globo. .

Até quem um dia brincou com a doença pediu desculpas após entender a gravidade da pandemia. O primeiro jogador da NBA a ser diagnosticado com o coronavírus, Rudy Gobert, do Utah Jazz, pediu desculpas após aprender que a doença não é brincadeira. Ele havia brincado em entrevista a jornalistas dias antes de ser confirmado a própria contaminação colocando a mão em microfones e gravadores.

"Eu fui descuidado e não há desculpas. Espero que minha história sirva de alerta e faça com que todos levem isso a sério. Farei o que puder para apoiar o uso da minha experiência como forma de educar outras pessoas e impedir a propagação do vírus", escreveu o jogador em carta.

Rudy Gobert pediu desculpas após aprender que a doença não é brincadeira - Russell Isabella
Rudy Gobert pediu desculpas após aprender que a doença não é brincadeira
Imagem: Russell Isabella

Atletas respondem: "fiquem em casa"

Daniel Alves foi ao Twitter e respondeu um fã que explicou que não poderia deixar de trabalhar por ser autônomo. "Então ele [o presidente] deveria cuidar de vocês nesse período difícil em vez de mandá-los para a rua, ele deveria ajudar vocês com o tempo que estiverem parados... Por e para isso se supõem que pagamos imposto não? Mais importante que dinheiro é saúde e se não tem saúde, não tem nada!", disse o meio-campista do São Paulo, que assume o voto em Bolsonaro na eleição presidencial de 2018.

Campeã olímpica em 2008 e 2012 pela seleção brasileira de vôlei, Sheilla pediu que todos fiquem em casa. "Gente, gostaria de pedir para que vocês fiquem em casa. Não é uma gripezinha qualquer, senão o mundo não estaria mobilizado para tentar resolver, não teríamos fechado escolas, universidades, comércio no mundo inteiro. Sabemos como o vírus se espalha rápido e o corona está atingindo o mundo inteiro. Então bora ficar em casa. Como atleta, esse é o meu pedido."

A jogadora Cristiane, craque do Santos e da seleção brasileira, criticou o discurso de Jair Bolsonaro: "Este é um post apartidário. Não sou de me posicionar em relação à política local, mas não posso me calar diante de um discurso tão inútil e cheio de palavras que vão totalmente ao contrário das medidas adotadas por vários países e das orientações sérias prestadas pela OMS [Organização Mundial de Saúde]! Fiquem em casa, cuidem dos seus familiares!!!", escreveu nas redes sociais.

Esporte