Reencontros

Na 23ª rodada do Brasileirão, times provam efeitos positivos e negativos da volta do público aos estádios

Pedro Souza/Atletico

A 23ª rodada marcou a volta do público em quase todos os estádios do Brasileirão. Com duas partidas no estado de São Paulo sendo exceção, seis confrontos tiveram torcedores na arquibancada. Ainda com limitações e longe da capacidade máxima de cada arena, os times envolvidos puderam sentir os efeitos positivos e negativos da presença de público.

Não há uma ciência exata, mas olhando para os que brigam pelo título, quem teve público ganhou. Foi o caso de Atlético-MG e Flamengo. O Palmeiras, ainda sem torcida, empatou com o Juventude e viu a distância para o líder aumentar.

Nesse ambiente "novo" para a Série A 2021, o técnico Cuca, do Atlético-MG, revelou que tinha uma tensão para ver como a arquibancada reagiria após a eliminação da Libertadores. Mas, ao fim das contas, a vitória sobre o Internacional veio com um gol de Keno e rendeu a cena na qual o treinador e seus jogadores foram agradecer à torcida pelo apoio.

"Por isso levei o time para dentro do campo, para mostrar ao torcedor que ele está representado. Você vê quão nervoso ficou o time no primeiro tempo, quão nervoso ficou o torcedor durante a partida", explicou o técnico.

Mas a presença de público também trouxe um ambiente de pressão vivido no fim de semana pelo Fortaleza, sobretudo pela derrota por 3 a 0 para o Atlético-GO, em pleno Castelão. No primeiro encontro entre o técnico Juan Pablo Vojvoda e a torcida, vaias após o apito final, apesar de o time ainda estar no G4.

Cuiabá e Grêmio também jogaram com público e perderam. Em Porto Alegre, especialmente, uma onda de vaias tomou conta após a derrota para um Sport que é concorrente direto contra o rebaixamento. Já a Chapecoense conseguiu arrancar um empate com o São Paulo na chuvosa Arena Condá.

Ler mais
Pedro Souza/Atletico

A gente está sendo muito cobrado pela posição que se encontra na competição e por tudo o que a gente vem fazendo na Copa do Brasil e no Brasileiro. Sabemos que podemos render mais.

Felipe Alves, Goleiro do Fortaleza

Alexandre Vidal/Flamengo

Média baixa ainda não turbina receitas dos clubes

As seis primeiras partidas do Brasileirão 2021 com público registraram, ao todo, 27.657 pagantes, gerando uma renda bruta de R$ 1.298.214. A média de público ficou em 4.609 pagantes/jogo, enquanto a renda bruta média foi de R$ 216.369/partida. Em 2019, último ano com a presença de torcedores nos estádios, a média de público foi de 21.320 pessoas.

O Flamengo foi quem teve casa mais cheia no final de semana. Detalhe é que teve mais pagante do que presente (8.408 a 7.715). Com isso, o clube teve também a maior receita bruta (R$ 450 mil) na tranquila vitória por 3 a 0 sobre o Athletico.

Em competições nacionais, o Fla não teve gostinho de reencontro com a torcida porque já teve público nas quartas de final da Copa do Brasil, contra o Grêmio. O Rubro-Negro e o Atlético-MG também já tiveram público em jogos da Libertadores.

O pior público foi da Chapecoense: 973 pessoas. Para elas, no entanto, valeu a pena ver o time pelo menos arrancar um empate diante do São Paulo, já que sair do rebaixamento parece impossível.

A questão financeira é um ponto que fica para o futuro. As rendas ainda estão muito baixas para os padrões brasileiros. Somadas, atingiram R$ R$ 1,2 milhão. A título de comparação, a semifinal da Libertadores entre Flamengo e Barcelona-EQU teve renda bruta de R$ 4 milhões. Já Atlético-MG x Palmeiras, também pelo torneio continental, gerou R$ 3,8 milhões.

Com pouca gente, um problema relacionado à operação do jogo. No Brasileirão, o único borderô da 23ª rodada publicado pela CBF até a publicação desta matéria é Fortaleza x Atlético-GO: a renda bruta ficou em R$ 53,4 mil, mas as despesas do jogo deixaram um saldo final negativo de R$ 48,1 mil para o time cearense pagar.

Números da volta do público aos estádios no Brasileirão - Editoria de arte (750x421)

Como foram os gols do Flamengo

Foto da rodada: torcedora do Fortaleza se emociona ao ver o time no estádio

Kely Pereira/AGIF Kely Pereira/AGIF
Reprodução/TV Globo

Arremesso de copo não dará problema

A volta da torcida aos estádios traz alguns comportamentos indevidos. No Flamengo x Athletico, por exemplo, o árbitro Sávio Pereira Sampaio registrou na súmula um arremesso de copo.

"Aos 20 minutos do segundo tempo, foi arremessado um copo descartável contendo um líquido não identificado, próximo ao assistente 2, nas imediações do campo de jogo", descreveu ele.

Esse tipo de situação poderia gerar problema ao Flamengo no Superior Tribunal de Justiça Deportiva (STJD), mas como o autor do arremesso foi identificado —e teve o nome publicado na súmula—, o clube escapa do risco. Houve também registro de ocorrência na polícia e o torcedor foi retirado da arquibancada.

O terceiro parágrafo do artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) diz que "a comprovação da identificação e detenção dos autores da desordem, invasão ou lançamento de objetos, com apresentação à autoridade policial competente e registro de boletim de ocorrência contemporâneo ao evento, exime a entidade de responsabilidade".

Ettore Chiereguini/AGIF

Liberação em SP começa hoje

Passa a valer hoje (4) a permissão para presença de público nos estádios de São Paulo. Com isso, Corinthians x Bahia, amanhã (5), será o primeiro jogo com torcida de um clube paulista em sua casa neste Brasileirão.

Como o aval não entrou em vigor a tempo da 23ª rodada, o Santos preferiu ter seu jogo contra o Fluminense adiado. Palmeiras e Red Bull Bragantino, ao contrário, optaram por não postergar seu cronograma de partidas. Ambos empataram seus jogos.

Estou (ansioso) porque acredito que vão me tirar do trabalho de falar no início do jogo para meus jogadores entrarem alertas. Vai ser uma boa forma de avaliar o desempenho dos jogadores. Estou ansioso para que voltem, os torcedores são alma do futebol. É um ambiente espetacular, que venham ajudar, apoiar, criticar. Gosto de ter estádio cheio porque os torcedores ajudam a avaliar o desempenho de todos nós", disse Abel Ferreira, técnico do Palmeiras.

Após a liberação em São Paulo, só o Bahia seguirá sem ter torcida nos jogos como mandante, já que o governo estadual ainda não permitiu. O cenário seguirá pelo menos até a 26ª rodada.

No jogo de amanhã, os torcedores do Corinthians poderão ocupar até 30% da capacidade da Neo Química Arena. Os torcedores poderão entrar se estiverem vacinados ou com teste negativo PCR de até 48h antes do jogo.

"O Corinthians observará os cuidados e protocolos definidos pelos comitês de saúde a fim de que, progressivamente, haja confiança para o aumento da capacidade, conforme for determinado. Esperamos e pediremos a nossos torcedores o mesmo compromisso e responsabilidade", disse o clube, em nota.

Ler mais

A visão dos colunistas

Uol

Palmeiras dá adeus à Série A; só a Libertadores salva o ano

Em 27 de novembro, o Palmeiras enfrentará o Flamengo no Centenário de Montevidéu. Decisão da Libertadores. Se vencer, será um bicampeonato histórico. Poucos clubes têm um feito assim. E Abel, que já está na história do clube, ficará ainda mais eternizado nos corações verdes. Se perder, será o ponto final de um ano sem títulos.

Ler mais
UOL

Verdão logo será a terceira força paulista no Brasileiro

O Palmeiras, que lotericamente conseguiu chegar à final da Libertadores, logo será a terceira força paulista no Brasileiro, atrás do Red Bull Bragantino e, acreditem, do Corinthians! Pela bola que está jogando, muito aquém do que apresentam os referidos times paulistas no certame, é questão de tempo para que logo isso aconteça mesmo.

Ler mais
UOL

Empate desastroso para o Palmeiras. Agora é tudo ou nada!

Ganhar a Libertadores, mais que salvar o ano, é verdadeira apoteose, e permitirá dizer que o clube perdeu todos os títulos menos importantes --Paulistinha, Supercopa do Brasil, Recopa Sul-Americana, Copa do Brasil e Brasileirão-- para ganhar o maior. Só que, se perdê-lo, e para o algoz Flamengo, 2021 ficará marcado como ano desgraçado.

Ler mais
Lucas Lima/UOL

Fla de Renato goleia Athletico com jeito de Klopp e Guardiola

O time de Renato Gaúcho Portaluppi, que segundo pessoas próximas a ele vê tudo o que é jogo, parecia conectado à Inglaterra. Sua equipe mesclou as características das duas e dos dois técnicos. Claro, sem o mesmo desafio, até pelo inexplicável time desfalcado que o Athletico levou ao Maracanã. Mas aconteceu e foi bonito de ver.

Ler mais

O que mais rolou no Brasileirão

Lucas Uebel/Gremio FBPA

Sport volta a marcar depois de oito jogos, às custas do Grêmio

A torcida do Grêmio voltou à Arena, mas viu o time perder para o Sport por 2 a 1, apesar do golaço de Douglas Costa. Isso significou o fim do jejum ofensivo do time pernambucano, que não marcada há oito partidas.

Ler mais
Diogo Reis/AGIF

Renato Augusto tem atuação de gala pelo Corinthians

O Corinthians empatou em um sufoco danado diante do Red Bull Bragantino, mas a atuação de Renato Augusto foi um primor, inclusive com o golaço que iniciou a reação. Foi o primeiro jogo dele sem ser substituído.

Ler mais

Ver para crer: os gols do Sport

Foram bem

  • Andreas Pereira

    Foi o principal jogador do Flamengo na vitória sobre o Athletico. Teve o controle total do meio-campo, mais uma vez. Deu o chute que gerou o primeiro gol e foi o autor do terceiro, após arrancada em contra-ataque.

    Imagem: Divulgação/Site oficial do Flamengo
    Leia mais
  • Keno

    Entrou durante o segundo tempo e mudou o ritmo do jogo a favor do Atlético-MG, diante do Internacional. Acabou virando o autor do milésimo gol do Galo no Brasileirão de pontos corridos e assegurou a importante vitória.

    Imagem: Agência I7/Mineirão
    Leia mais
  • Renato Augusto

    Desfilou no meio-campo do Corinthians durante o empate com o Bragantino. Exibiu a classe fazendo um golaço e distribuindo o jogo em um time que parece em evolução, apesar de não ter vencido.

    Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
    Leia mais
  • Mauro Zárate

    O experiente argentino vem mostrando sua importância como líder técnico do América-MG. Foi protagonista da vitória sobre o Cuiabá que dá uma gordura maior ao time em relação à zona de rebaixamento.

    Imagem: Gil Gomes/AGIF
    Leia mais

Foram mal

  • Rony

    O atacante do Palmeiras foi mal contra o Juventude. Tomou decisões erradas, não levou perigo ao adversário e ficou devendo no empate, que teve gol de Danilo.

    Imagem: Cesar Greco
  • Eder

    Foi a novidade na escalação de Crespo para enfrentar a Chapecoense, mas deixou a desejar. Contrastou com Rigoni. Pouco efetivo, saiu para dar lugar a Calleri.

    Imagem: Erico Leonan / saopaulofc
  • Borja

    Perdeu chances nos dois tempos do Grêmio contra o Sport. Não foi bem, apesar da vontade de ficar em campo, mesmo com uma torção de tornozelo.

    Imagem: RAUL PEREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO
  • Felipe

    Fez um gol contra na derrota do Fortaleza para o Atlético-GO. Isso aparentemente teve impacto psicológico que influenciou negativamente na atuação dele.

    Imagem: Divulgação/Site oficial do Fortaleza
Alexandre Vidal / Flamengo

Na próxima rodada, desfalques por causa da data-Fifa

A próxima rodada do Brasileirão terá mais jogos com público, mas contará com desfalques dentro de campo, pois a CBF recuou no adiamento das partidas de quem cedeu jogadores para as seleções.

Os jogos das Eliminatórias da Copa 2022 tirarão nomes importantes dos três primeiros colocados, mas só o Flamengo foi na linha de defender o adiamento dos jogos e, por consequência, a prorrogação da duração da Série A.

Atlético-MG, Palmeiras e os demais clubes fizeram pressão contrária. O máximo que a CBF fez foi não adiar os jogos e empurrar o desfecho do Brasileirão para dia 9 de dezembro (a conclusão inicial seria dia 5).

A gente fala muito de isonomia, se discutiu muito isso de presença de público no estádio, foi uma luta que o Flamengo se envolveu. Se a gente fala que o público pode influenciar um resultado de jogo, imagine você perdendo seus principais jogadores como o que vem acontecendo continuamente com alguns clubes, principalmente o Flamengo", reclamou o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, em pronunciamento após a vitória sobre o Athletico.

O Flamengo perderá quatro titulares: Arrascaeta, Gabigol, Isla e Everton Ribeiro. O Palmeiras ficará sem Weverton, Gustavo Gomez e Piquerez. Já o Atlético-MG não terá Guilherme Arana e Junior Alonso —Eduardo Vargas seria mais um convocado, mas se machucou.

Ler mais

O Landim foi muito feliz na colocação dele. Não cabe muito ao treinador entrar nesses detalhes, mas acho que as datas Fifa deveriam ser cumpridas. O Flamengo está disputando três competições, joga uma decisão a cada três dias. Nosso grupo é muito bom, sempre elogio, mas são quatro jogadores servindo seleções e nessas horas os únicos beneficiados são os adversários. É difícil entender certas coisas.

Ler mais

Renato Gaúcho, Técnico do Flamengo

Reveja o Fim de Papo

Com Mauro Cezar, Renato Maurício Prado e Danilo Lavieri

+ especiais

Cesar Greco

Atlético-MG, Palmeiras e Flamengo tropeçam juntos no Brasileirão, mas a explicação vai além do foco na Liberta

Ler mais
Marcello Zambrana/Agif

Sem ganhar do Fla desde 2017 e vendo a distância para o Galo crescer, o Palmeiras virou terceira força?

Ler mais
Pedro Souza/Atlético-MG

União de Diego Costa a Hulk é recente no Atlético-MG, mas pode rivalizar com Gabigol e Bruno Henrique?

Ler mais
Staff Images / CONMEBOL

Gabigol responde provocações com gols e reforça sua melhor média pelo Flamengo

Ler mais
Topo