PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Renato endossa críticas de Landim à CBF: 'Beneficiados são os adversários'

Bruno Henrique, jogador do Flamengo, comemora seu gol com Renato Gaúcho - Thiago Ribeiro/AGIF
Bruno Henrique, jogador do Flamengo, comemora seu gol com Renato Gaúcho Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Colaboração para o UOL, em São Paulo

03/10/2021 19h26

O técnico Renato Gaúcho endossou as críticas de Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, à CBF por não adiar os jogos de equipes da Série A com jogadores convocados às seleções nas datas-Fifa.

"As datas-Fifa deveriam ser cumpridas. No Flamengo, a cada três dias é uma decisão. Nós temos quatro jogadores que estão servindo à seleção. Os únicos beneficiados são os nossos adversários. É difícil de entender certas coisas. O presidente fez sua colocação, a minha é igual à do clube", afirmou Renato após a vitória flamenguista ante o Athletico-PR.

A respeito dos desfalques por lesão ou convocações, como no caso de David Luiz, que não atuou hoje no Maracanã, Renato reiterou que o Rubro-Negro é o único time vivo em três competições, o que coloca o Atlético-MG em vantagem —além da pontuação— na briga pelo título brasileiro.

"Hoje [o candidato ao título] seria o Atlético, porque tem essa vantagem dos pontos. Mas não quer dizer que o Atlético vá ser o campeão. E nem que o Flamengo vá ser. Tem outros times, como o Palmeiras. O Atlético se beneficia pelos pontos e por atuar em duas competições, então, o desgaste é menor. A vantagem toda é dos adversários. Mas temos um grupo e vamos em frente", pontuou.

Confira mais respostas de Renato Gaúcho

Como está a motivação para o Brasileirão?

"O grupo está sempre querendo ganhar, sempre motivado. Temos três competições. É lógico que queremos ganhar o Brasileiro também, mas tem muitas equipes que jogam uma vez por semana, e nisso o Flamengo é prejudicado. Temos uma distância boa a favor do Atlético, mas temos jogos a menos. O importante é buscar os pontos. É difícil, mas não é impossível. O Flamengo disputa três competições e tem jogadores na seleção. Mas vamos brigar."

Avaliação sobre o trabalho

"Meu trabalho está ligado ao grupo. É um trabalho muito bom, os números não mentem. Hoje o Flamengo está numa semifinal de Copa do Brasil, numa final de Libertadores, estamos brigando pelo Brasileiro, temos jogos a menos. Enfim, o Flamengo está bem nas três competições, e nosso objetivo esse: buscar títulos. Então é dar continuidade nesse objetivo que é dar a volta olímpica."

Saída de Bruno Henrique preocupa?

"Logo no início percebi que colocou a mão no adutor. Conversei com ele, chamei o doutor. E quando terminou o primeiro tempo, ele mesmo pediu para sair, porque não sabíamos do grau da lesão, se é que tinha lesão. Amanhã vamos falar com o doutor para fazer um exame, e saber se tem lesão. Se fosse uma final, poderia continuar, mas estava 3 a 0."

Gabigol tem jogado longe da área. Casualidade ou pedido?

"As duas coisas. É causalidade de algumas jogadas, e em algumas peço pra se movimentar pra dar espaço pros companheiros. Tem muito adversário que joga com a linha alta. Depende do adversário, então são as duas coisas. É um jogador fundamental, que faz bastante gols e gosta de jogar perto da área, mas é uma movimentação que peço pra ele. Quando se movimenta, você dificulta para a defesa do adversário."

Kenedy com mais minutos em campo e atuação aquém contra o Athletico

"Alguma hora, ele tem que jogar. Tenho conversado com ele. Estamos tendo todos os cuidados possíveis. Não queremos que nenhum jogador se machuque. Ele tem que começar a aumentar esses números. Ele precisa buscar ritmo, e só busca ritmo jogando. Tecnicamente não foi tão bem, mas é uma coisa normal. Esse ritmo e a parte técnica, ele só vai conseguir jogando."

"Temos tido todo o cuidado com ele. Procuramos trabalhar a parte física, técnica, tática. Ele é um jogador que estava há muito tempo parado, depois pegou covid. Vinha jogando fora de sua posição. Pode ter certeza de que daqui a pouco está pronto, que apareceu no fluminense e vai nos ajudar nas competições."

Melhora da defesa com Filipe Luís

"Eu falo quase que diariamente com ele. Jogou muito contra o Barcelona. Jogador inteligente, jogou muito tempo lá fora, conhece bem os atalhos e que passa tranquilidade aos companheiros e o treinador. Que continue jogando por muito tempo. É bonito de vê-lo jogar."

Futebol