PUBLICIDADE
Topo

Falta de vento adia definição de medalha para Martine Grael e Kahena Kunze

Martine Grael Kahena Kunze, da classe 49er., em Tóquio-2020  - Phil Walter/Getty Images
Martine Grael Kahena Kunze, da classe 49er., em Tóquio-2020 Imagem: Phil Walter/Getty Images

Adriano Wilkson

Do UOL, em Enoshima (Japão)

02/08/2021 02h50

A busca por medalhas para as brasileiras Martine Grael e Kahena Kunze terá de esperar. A última e decisiva regata da classe 49er FX aconteceria nesta segunda (2), mas foi adiada devido à falta de ventos na Baía de Enoshima. A medal race está prevista para acontecer amanhã (3) às 12h30 no horário local, 0h30 no horário de Brasília.

Para Kahena, o adiamento da prova foi a melhor solução para o momento. "Hoje deu até 4 nós, não tinha condições. Foi melhor ter adiado mesmo. Vamos ver se amanhã o vento muda. Estou confiante em fazer uma boa corrida. Não tem vento ideal, a gente tem que estar preparado para as condições que aparecerem. E acho que estamos", disse.

As brasileiras, atuais campeãs olímpicas, estão na segunda colocação geral após 12 regatas, atrás das holandesas Anniemiek Bekkering e Annette Duetz que são líderes do ranking mundial da categoria. Para conseguir novamente o título olímpico as brasileiras precisam terminar à frente das rivais. Uma vitória na última regata, por exemplo, garantiria o ouro para Martine e Kahena.

Torben Grael, cinco vezes medalhista olímpico e chefe da equipe de Vela, afirmou que é a instabilidade e o adiamento são situais normais no esporte. "É uma coisa normal, aconteceu pouco aqui na Olimpíada mas é normal, aconteceu no Rio também", falou. "Decidir um campeonato assim (ventos fracos) não é o ideal. Embora as meninas sejam muito boas de clima confuso, elas se adaptam a dificuldade com facilidade, mas acho que ter uma regata final um pouquinho mais técnica é bonito pro campeonato", completou.

A prova estava marcada para às 14h30 no horário local, 2h30 no horário de Brasília, mas desde o começo do dia, a falta de vento preocupou. Já no período da tarde, a velocidade do vento alcançou entre cinco e oito nós, velocidade considerada insuficiente para velejar. Todas as atividades da Vela, que aconteceriam também nesta segunda, foram adiadas.

Torben afirmou que a programação não sofre tanta alteração, mas que amanhã a organização deve ser mais incisiva para a realização da regata e há um otimismo. "Agora o pessoal vai para casa, relaxa e amanhã mesmo procedimento de novo. Diferença é que amanhã é o último dia e eles vão forçar mais para fazer. Só que a previsão é muito melhor, então não deve ter muito problema" finalizou.