PUBLICIDADE
Topo

Djokovic diz que calor de Tóquio é o pior que já enfrentou

Novak Djokovic na segunda rodada dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 - Reuters
Novak Djokovic na segunda rodada dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 Imagem: Reuters

Demétrio Vecchioli

Do UOL, em Tóquio

28/07/2021 11h37

O calor aliado à umidade de Tóquio vem gerando dificuldades para os tenistas, que têm que jogar em quadras abertas, com sombra apenas na maior delas, a central. Nesta quarta (28), depois de fazer dois jogos em menos de cinco horas, Novak Djokovic reclamou das condições climáticas e festejou ter sido atendido o pedido, feito por ele e por outros atletas, para que a programação fosse postergada.

"Fico feliz que eles tomaram a decisão de mudar o primeiro jogo para as 3 horas (da tarde). Zverev, Medvedev e eu falamos diretamente com o supervisor. Muito dos classificados concordaram com o pedido de mudança, que foi feito quatro dias atrás. Eu só queria que eles tivessem feito antes", afirmou.

Hoje a tenista espanhola Paula Badosa abandonou as quartas de final do torneio de simples, contra Marka Vondrousova, da República Tcheca, após um quadro de insolação. A atleta teve de deixar a quadra em uma cadeira de rodas. O jogo teve início às 11h, no horário da capital japonesa.

"Não queremos situações iguais de hoje. São condições são brutais. O tênis é um esporte de resistência e tem que ser considerado como esporte de resistência. Todos os esportes de resistência vão acontecer tarde da noite, porque a combinação de alta umidade e alta temperatura é ruim", afirmou Djoko. Na verdade, as provas de resistência, exceto o ciclismo de estrada, foram marcadas para bem cedo.

"Eu jogo tênis há 20 anos e nunca enfrentei essas condições. São dias consecutivos. Tive alguns dias assim em Miami, Nova York, algumas situações em algumas cidades, mas aqui é todo dia. Isso suga as energias dos atletas. Para todo mundo é melhor que os jogos comecem mais cedo", continuou.

Tóquio tem registrado altas temperaturas, o que tem se tornado um desafio a mais aos atletas que participam dos Jogos Olímpicos. No caso do tênis, as reclamações têm sido constantes. Nesta quarta, no Parque de Tênis Ariake, os termômetros indicavam em torno de 31º. Além do calor, a alta umidade na capital japonesa faz com que a sensação térmica aumente e acelere o quadro de desidratação.

Além da espanhola Badosa, o dusso Daniil Medvedev, que atua sob a bandeira do Comitê Olímpico da Rússia (ROC), também passou mal. Em alguns momentos do jogo com o italiano Fabio Fognini, ele demonstrou cansaço e teve até de receber atenção médica. A certa altura, foi questionado pela arbitragem se a partida poderia continuar e respondeu fortemente: "Sou um lutador, vou terminar o jogo, mas posso morrer. Se eu morrer, a ITF [Federação internacional de Tênis] assumirá a responsabilidade?", disse, segundo relato da versão em espanhol da CNN.