PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Jefferson Toddynho vibra com vitória na LFA e revela seu maior sonho nas artes marciais: "ser inspiração para as crianças da minha comunidade"

17/05/2022 09h36


O lutador Jefferson Nascimento, o "Toddynho", é uma das apostas da equipe Renovação Fight Team (RFT) no MMA. Invicto nos cages, a jovem promessa fez a sua estreia em um grande palco na última sexta-feira (13), quando atuou pelo Legacy Fighting Alliance (LFA) 132, realizado no Rio de Janeiro. O pupilo de Márcio Cromado, que estreou no MMA em 2019, foi chamado faltando apenas 15 dias para o evento e enfrentou um adversário que tinha três vezes mais lutas que ele no cartel. No entanto, Toddynho deu conta do recado vencendo por decisão unânime e emplacou a sua sétima vitória na carreira.

"Gostei bastante da minha performance, mas acho que poderia ser ainda melhor se eu tivesse mais tempo para me preparar. Eu só tive 15 dias de preparação para enfrentar um adversário que tinha três vezes mais lutas que eu. Eu tinha seis lutas e ele 18. Além disso, ele já tinha lutado duas vezes na LFA. Mas acredito que pelo fato de estar lutando em um evento internacional, um dos maiores do mundo, e por conta dessas circunstâncias que falei, acho que tive sim um bom desempenho. Não sei quantas lutas eu ainda preciso fazer para chegar ao UFC, mas acredito que mais duas lutas, conseguindo entrar no card principal ou conseguindo uma luta lá fora, por exemplo, e tendo uma boa performance, claro, acredito que eu possa conseguir o contrato com o UFC", disse Toddynho.

Cria da comunidade Santa Marta, localizada na zona sul do Rio de Janeiro, Toddynho começou nas artes marciais aos 3 anos em um projeto social em sua comunidade. No início ele confessa que não gostava de praticar luta, mas que com o tempo e os resultados alcançados no esporte, ele foi pegando gosto. Além disso, ele sempre contou com o apoio de sua família. Sua mãe acompanha quase que diariamente os seus treinos e prepara a sua marmita para que ele possa seguir com sua dieta durante a semana.

"Eu comecei a treinar Judô com 3 anos. E, para falar a verdade, eu nunca gostei de luta quando era criança. Comecei a gostar só quando cheguei à adolescência. Comecei a competir mais, a ganhar campeonatos e me apaixonei pela luta. Aí comecei a fazer Boxe, Muay Thai, Luta Livre e quando me dei conta já estava fazendo MMA. Antes de chegar à RFT, eu sempre participei de projetos sociais, e muitas vezes não tinha dinheiro para pagar inscrição de campeonato. Mas meus pais sempre me apoiaram, sempre davam um jeito de pagar as inscrições e viajavam comigo para as competições. Quando eu fui para o MMA, não sei se eles acreditavam muito que eu seguiria isso como carreira, mas nunca deixaram de me apoiar. Hoje em dia eles já enxergam isso como um trabalho. Eu dou aulas, luto e vivo disso. Eles me apoiam bastante. Se não fosse o apoio deles, minha carreira seria muito mais difícil", revelou.

Relação com Márcio Cromado

Toddynho chegou a equipe RFT quando tinha 14 anos de idade. Desde então ele foi abraçado por Márcio Cromado que, além de trabalhar com cuidado a carreira de Toddynho, tem aconselhado bastante o jovem para que ele não perca o foco e continue em busca dos seus objetivos.

"O mestre Cromado é um cara incrível! Ele tem mais tempo de luta do que eu tenho de vida. Ele sabe onde o atleta costuma errar, sabe quando um atleta perde o foco, então ele está sempre me aconselhando da melhor forma possível para que eu não perca o rumo. Ele sabe quando estou nos meus dias ruins e sabe como me motivar. Ele sabe onde eu quero chegar e faz questão de me lembrar disso todos os dias. Eu sempre procuro seguir os conselhos dele. E vem dando certo. Estou invicto no MMA com sete lutas e lutando em um dos maiores eventos do mundo. Então acredito que o nosso trabalho tem dado certo e que os conselhos que ele tem me dado estão surtindo efeito", elogiou Toddynho, que revelou qual o seu maior sonho nas artes marciais.

"O meu sonho é ser contratado pelo UFC e ser campeão do maior evento do mundo. Mas meu maior sonho mesmo é ver as crianças do Santa Marta, onde eu moro, seguindo o caminho do esporte e estudando. Quero servir de inspiração para essas crianças e mostrar que elas podem chegar aonde quiserem", concluiu.

Futebol