PUBLICIDADE
Topo

Real Madrid

Júlio Baptista crê em vitória do Real e diz que Vini Jr é 'desequilibrante'

Vinícius Jr. marca e salva Real da derrota contra a Real Sociedad - Gonzalo Arroyo Moreno/Getty Images
Vinícius Jr. marca e salva Real da derrota contra a Real Sociedad Imagem: Gonzalo Arroyo Moreno/Getty Images

09/04/2021 13h12

Classificação e Jogos

Júlio Baptista, atual treinador da equipe juvenil do Valladolid, vestiu a camisa do Real Madrid, enfrentou o Barcelona e sabe como jogar o El Clásico. Em entrevista ao LANCE!, o ex-meia avaliou o confronto que será disputado neste sábado, às 16h (de Brasília). O brasileiro abordou questões como a pressão do confronto, as questões táticas que podem pesar no duelo e o momento de Vinícius Júnior.

Tática

Ambos os clubes vivem uma fase espetacular no Campeonato Espanhol. O Barcelona está invicto há 19 partidas, sendo 16 vitórias e três empates, enquanto o Real Madrid não perde há 9 jogos, sendo sete triunfos e dois empates. Apesar do aparente melhor momento da equipe catalã, Júlio Baptista acredita que a equipe merengue consiga se sobressair por conta do forte elenco que Zidane tem nas mãos.

> Veja a tabela da La Liga

"São duas equipes que jogam em um sistema muito parecido (4-3-3). O Real Madrid tem atletas que atuam há muito tempo juntos e acho que isso pode ser uma vantagem. A parte principal que diferencia um time do outro é o elenco. Vejo os merengues com um plantel mais extenso que o do Barcelona, com jogadores no banco que podem decidir. Em uma partida onde os detalhes acabam decidindo, o Real Madrid tem mais opções para colocar em campo caso o plano principal não esteja funcionando. O nível do time não vai cair. Já o Barcelona, caso tenha que fazer duas ou três substituições, pode perder rendimento."

Vinícius Júnior

O treinador, que fez sucesso com as camisas dos clubes em que jogou e com a da Seleção Brasileira, também comentou sobre o momento vivido por Vinícius Júnior. O jovem vive uma boa fase, marcou dois gols contra o Liverpool na última terça-feira pela Champions League, decidiu o dérbi na última temporada e há muita expectativa depositada no camisa 20. No entanto, o veterano pede cautela.

"No Brasil, quando um jogador começa a se destacar, dão uma ênfase ao atleta, o colocando em um nível em que ele não se encontra. Isso gera certos aspectos prejudiciais. O Vinícius ainda está em fase de aprendizagem e em um time como o Real Madrid, não há tempo para ajustar e trabalhar certos detalhes. Então se evidencia muito mais os erros que o jogador pode cometer. Ainda assim, o Vinícius é um jogador super desequilibrante e com um talento incrível."

Júlio Baptista também destacou a velocidade do atacante como uma de suas características mais importantes e que pode fazer a diferença, se explorada, no duelo contra o time dirigido por Ronald Koeman.

"Eu sempre acreditei que ele tem um dos fatores mais importantes do futebol atual, que é a velocidade, mas as execuções não são realizadas com eficiência. Ele tem um talento inato, vimos isso contra o Liverpool. Está melhorando no quesito da finalização e se acertar certos componentes do jogo, virá a ser um jogador aproveitado pela Seleção, mas tem que existir uma paciência. Ele está em crescimento e pode vir a ser o melhor do mundo com uma sustentação importante, crescendo ano a ano e deixando seu futebol em um patamar muito alto."

Desfalques e Messi

A equipe de Zidane sofre com alguns desfalques no sistema defensivo e não contará com as presenças de Carvajal e Sergio Ramos por lesão e Varane por testar positivo para a Covid-19. No entanto, o ex-jogador minimizou os problemas visto que no duelo contra o Liverpool, as ausências não pesaram contra.

"Contra o Liverpool, o Real Madrid demonstrou que tem jogadores a altura para suprir as ausências no sistema defensivo. Vejo que o Zidane poderia utilizar o Mendy como zagueiro por conta de suas condições físicas, mas o Militão vem de um jogo espetacular, o Nacho também vem desempenhando muito bem sua função. Acho que será um jogo em que os dois clubes terão oportunidades."

A expectativa é de que o sistema defensivo seja formado com Vásquez na lateral direita, Militão e Nacho no miolo da zaga e Mendy na ala esquerda. E o desafio será parar Lionel Messi, que vem fazendo uma boa temporada (23 gols e 10 assistências na La Liga), mas que não rendeu nos últimos clássicos.

"Quando há jogadores que são desequilibrantes, como é o Messi, não se pode fazer nada em alguns momentos. A parte tática deve chegar perto da perfeição, mas existem erros que acabam acontecendo. Quando você se aproxima da perfeição, você limita as ações deste atleta para que, ele esteja sendo muito vigiado e controlado. Se você se descuidar, ele será desequilibrante em qualquer área do campo."

Confira outros trechos da entrevista:

LANCE!: Como você avalia o trabalho do Zidane?

Júlio Baptista: O trabalho do treinador deve se medir por resultados. O Zidane tem conquistado títulos, ele consegue fazer com que os jogadores compreendam suas ideias. A função do treinador é convencer os atletas a fazerem o que ele quer. Essa ideia é transferida para dentro de campo e o resultado são as vitórias e os títulos.

L!: Como é a preparação para um jogo entre Real Madrid e Barcelona?

JB: Como estou no processo de treinador, eu vejo que é um processo diferente do que como quando era jogador. Você precisa ser mais específico no que vai acontecer. Quais são os pontos positivos do time rival e suas debilidades. Dentro disso, trabalhar de maneira eficiente e fazer com que seus atletas reconheçam esses aspectos para seu time ter um poder de ação e fazer com que todos saibam o que fazer no campo. Ir com as ideias claras do que fazer em cada momento do jogo, quais os comportamentos o time deve ter em cada aspecto da partida. Hoje os dois clubes estão realizando um bom futebol, acredito que será um jogo aberto, ambos têm possibilidades de levar o clássico. Eu espero que o Real Madrid possa vencer, mas tudo pode acontecer.

L!: Como a questão psicológica é trabalhada nos atletas?

JB: A parte psicológica é trabalhada deixando o jogadore melhor preparado para o que ele vai encontrar. Quando o atleta encontra contextos que ele não saiba como lidar, ele acaba ficando nervoso e perdendo o controle. Quando ele vai preparado e sabendo tudo o que pode fazer, ele tem tudo sob controle. A preparação é muito importante no aspecto físico, técnico e psicológico, mas a gente acredita que o tático arrasta os outros. Se você é correto taticamente, você estará em um nível muito alto.

L!: Há alguma história dos bastidores que você possa contar e que já vivenciou em um El Clásico?

JB: Quando a gente jogava contra o Barcelona, tinham vários brasileiros: Deco, Ronaldinho, Thiago Motta. Quando a gente conseguia adiantar sobre uma linha ou criar uma vantagem em direção ao gol, você escutava: "Derruba, derruba" (risos). Isso é interessante, pois é uma leitura importante dos jogadores cortarem uma transição fazendo uma falta tática. Você tem que ter essa visão para parar o jogo em determinados momentos para que o rival não te machuque.

Real Madrid