PUBLICIDADE
Topo

Pedro Raul, do Botafogo, diz que está treinando normalmente: 'Sem dor'

31/03/2020 19h50

Pedro Raul desfalcou o Botafogo no último jogo antes da paralisação por conta da pandemia do coronavírus, contra o Bangu. Uma lesão na coxa direita sofrida ainda na Taça Guanabara estava incomodando o atacante. Nesta terça-feira, contudo, o camisa 9 afirmou, em transmissão ao vivo realizada no Instagram do Alvinegro, que já está treinando normalmente.

- Tenho recebido o treino do pessoal da parte física. Como eu estava com uma situação (lesão) na coxa e fazendo processo de transição, eu segui por duas semanas nesse processo. Agora estou sem dor e treinando normalmente tudo que está sendo passado. Essa foi a primeira lesão da carreira - afirmou.

Sem compromissos oficiais e com férias adiantadas, Pedro Raul voltou para Porto Alegre, onde grande parte da família mora, para passar a quarentena. O atacante reafirmou que é vital manter a disciplina nesta período sem partidas oficiais.

- Está bom. Sou um cara magro, não tenho tendência a engordar. Treino todos os dias. (A parte física) Tem uma tendência de cair um pouco pelo período parado, mas estou tentando minimizar um pouco nessa paralisação. Tem que ter disciplina alimentar, nessa parte do esporte isso importa muito - completou.

O jogador lamentou a paralisação das competições por ter pausado o entendimento inicial do elenco do Botafogo com Paulo Autuori, que havia sido contratado recentemente. Com apenas cinco jogos no comando do Alvinegro, Pedro Raul afirmou que os jogadores estavam se entendendo bem com o comandante.

- A gente estava pegando o jeito dele, essa parada foi triste para todos. A gente estava conhecendo e ambientando com o trabalho do Paulo. É um estilo de jogo que encaixa muito em bem na nossa equipe. Todo mundo estava muito bem empenhado em trabalhar com ele, todos em trabalhar com um cara que ganhou tudo na carreira - admitiu.

A paralisação também postergou o primeiro jogo de Pedro Raul e Keisuke Honda - que estreou marcando gol no empate contra o Bangu - juntos. Mesmo assim, o atacante elogiou a postura do japonês.

- Ele é um cara muito profissional. Sempre chega uma hora e meia antes de cada treino, vai para a academia. Depois do treino ele faz vários procedimentos de recuperação. No campo dá para ver que o nível de concentração é muito alto. Quando a gente tem um cara desse nível a gente tenta busca ao máximo aprender - analisou.

MAIS DECLARAÇÕES DE PEDRO RAUL:

Carreira

- Comecei no São José de Porto Alegre, joguei no Cruzeiro de Porto Alegre, fiquei um ano e dez meses em Portugal, voltei no início de 2019, tive um ano bastante feliz lá, fomos campeões estaduais e conseguimos o acesso. Agora estou aqui tendo essa honra de vestir a camisa do Botafogo.

Meta

- Não fiz exatamente uma meta, foi um primeiro passo, Minha meta é ser campeão, não é só fazer gols. Eu quero atingir os dez gols e depois aumentar. Tem que trabalhar com meta alta e, vestindo essa camisa, minha meta é ser campeão.

Eduardo Barroca

- O Barroca foi fundamental no ano passado na reta final da temporada. Fiquei feliz de trabalhar com ele, espero no futuro voltar a trabalhar com ele, foi um cara que soube tirar o máximo de todo mundo. A gente até conversou no início do ano, fiquei feliz com o interesse dele (no Coritiba). Se tratando de um cara que está começando no futebol, é muito gratificante.

O que mudou desde que chegou ao Botafogo

- Eu me sinto outro jogador. Até pela camisa que a gente representa, é importante, a gente representa muita gente. Trabalhar com grandes jogadores eleva o teu nível. Eu sei que posso trabalhar mais, mas estava feliz com tudo o que eu estava fazendo até a paralisação.

Método de trabalho

- Trabalho todo dia no meu máximo, essa é a fórmula para jogar em alto nível. Falo com meus amigos que o mesmo jeito que você joga em um clássico você tem que jogar contra um time supostamente inferior. Quero deixar minha marca no Botafogo. É um clube histórico, é uma honra jogar aqui.

Caio Alexandre

- O Caio é um moleque sensacional, joga muito. Eu falo que ele é o nosso Iniesta.

Experiência em Portugal

- Eu aprendi muito lá, em todos os quesitos. Táticos, técnicos. Todo treino lá era uma aula. Se eu pudesse voltar no tempo iria escrever tudo. Aprendi demais lá. Eles dão muita atenção nos pequenos detalhes que passam despercebidos em um jogo. Se for ver em uma perspectiva maior, fazia diferença em um jogo. Essa foi uma cultura que adquiri lá que eu vejo que me fez jogar melhor.

Objetivos

- A curto prazo é ser campeão no Botafogo, conseguir o clube para a Libertadores. A longo prazo é Seleção. É um marco para qualquer jogador. Vestindo essa camisa é algo que a gente pode sonhar.

Proposta do Botafogo

- Estava de férias e quando recebi eu falei para o empresário "vai me mandar para eu assinar quando?". Foi de cara. O Botafogo porque é um clube gigante, representa muito no cenário, tem uma camisa histórica e antes de assinar eu falei com o Barroca, ele me passou as informações que eu precisava, disse que eu me sentir bem, eu gosto muito de jogar, estou virando amigo de todos lá dentro. São pessoas fantásticas, estou muito feliz.

Dia a dia no Botafogo

- Tenho carinho por todos que estão lá, são profissionais que estão sempre tentando ajudar.

Inspirações no Botafogo

- Tentar alcançar o Loco Abreu, eu acho que é uma excelente meta. É uma referência no clube. Tem o Túlio... São duas referências na posição. Tentar chegar um pouco perto, isso já vai ser bom.

Jogador que inspira no futebol mundial

- Lewandowski. A técnica de jogo, leitura em todos os lances, está sempre bem posicionado, a bola vem quadrada e ele deixa redonda, é uma referência.

Honda

- Vou procurar extrair o máximo. Jogando com uma referência técnica dessas tem que extrair o máximo. Não só o Honda, todas são muitos bons. Ele tem um currículo muito bom, quanto mais assistências melhor.

O que esperar além de gols

- Esforço físico, assistências... Se precisar que eu pegue no gol eu estou lá. É difícil tirar o Gatito e o Cavalieri de lá, mas posso tentar (risos).

Bruno Nazário e os amigos do elenco

- É uma resenha, é f... O Bruno, o Caio, o Marcelo, Alex, Luiz Fernando, o Choquito, Gui, eu falo com todos, é difícil citar alguns.

Mais bonito do elenco

- Marcinho não dá com aquele cabelo não. Aquele cabelo samurai lá....

Paralisação do calendário

- Não consigo porque tem uma idefinição da CBF. Não tem um norte, não sabemos se os estaduais vão voltar, se o Brasileiro vai voltar. Mas temos que estar preparados quando a hora aparecer.

Futebol