PUBLICIDADE
Topo

Bahia

Bahia ganha do CSA no Rei Pelé e aumenta clima de tensão em Alagoas

Juninho, do Bahia, comemora seu gol durante partida contra o CSA - Itawi Albuquerque/AGIF
Juninho, do Bahia, comemora seu gol durante partida contra o CSA Imagem: Itawi Albuquerque/AGIF

19/02/2020 21h25

Jogando no estádio Rei Pelé na cidade de Maceió, pela quinta rodada dos grupos na Copa do Nordeste, o Bahia segue se reabilitando ao bater por 2 a 0 o CSA em resultado que manteve a péssima fase vivida pelos alagoanos quando o assunto é o Nordestão.

Agora, o time de Roger Machado tem oito pontos e está em segundo no Grupo A enquanto, do lado Azulino, a equipe amarga a última posição do Grupo B.

GOLEIROS ESPECTADORES

Quando conseguiam manter a bola por mais tempo sem cometer erros de passe que "entregavam" a posse para o adversário nos primeiros minutos de jogo, alagoanos e baianos precisavam lidar com outro problema visível que era a falta de pontaria nas finalizações. Com isso, mesmo com a sobra dentro da área para batida de Rafael Bilu e no rebote da zaga Azulina onde Flávio teve liberdade visando bater em gol, a bola acabou subindo e tanto Anderson como Thiago Rodrigues eram acionados somente nos toques dos defensores ou nas cobranças de tiro de meta.

ZAGUEIRO ARTILHEIRO!

No último lance de ataque da etapa inicial, a falta de lucidez no ataque do Esquadrão deu lugar a rápida movimentação que "desmontou" a zaga alagoana e abriu a contagem em Maceió. Depois de passe em profundidade, Élber chegou cara a cara com Thiago Rodrigues e, no rebote da defesa do arqueiro, o zagueiro Juninho teve duas chances para bater forte, no alto, estufando as redes do CSA.

VOLTOU ASSUSTANDO

Bastaram menos de dez minutos do tempo complementar para notar que o time de Eduardo Baptista tomava atitude que simplesmente não conseguiu na etapa inicial: "espremer" o adversário na defesa e criar ao menos duas oportunidades de real perigo contra a meta defendida por Anderson. Enquanto no cruzamento para a cabeçada do zagueiro Luciano Castán a bola passou ao lado da trave, a batida do meio-campista Jean Cléber em passe ótimo de Diego Maurício bateu no poste esquerdo depois de Anderson ir de maneira um tanto quanto desajeitado no lance.

CSA MELHOROU... MAS O BAHIA "BROCOU"

Se do lado dos anfitriões a evolução no desempenho não conseguia ser traduzida em gol, do outro bastou voltar com mais precisão ao plano ofensivo que o marcador foi dilatado através de Gilberto. Aos 19, de novo Élber apareceu com liberdade para finalizar e parar nas mãos de Thiago Rodrigues. Como a bola voltou em seus pés, o camisa 7 só ajeitou para a chegada do centroavante que bateu de esquerda, no alto, sem chance para o arqueiro do Azulão.

BATIDO

O segundo gol feito pelo Esquadrão parece ter sido o "golpe moral" derradeiro no time azul de Maceió já que, depois disso, a equipe se viu em um verdadeiro marasmo criativo onde os visitantes tiveram liberdade para administrar o triunfo até o final.

Bahia