Topo

Deyverson ensina como lidar com ansiedade após ser "vítima" do VAR em abril

Deyverson abriu o placar para o Palmeiras contra o Avaí após checagem do VAR - Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação
Deyverson abriu o placar para o Palmeiras contra o Avaí após checagem do VAR Imagem: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

15/06/2019 13h38

Em 7 de abril, Deyverson fez um gol intensamente comemorado no Allianz Parque, que tiraria o 0 a 0 diante do São Paulo e evitaria os pênaltis e a consequente eliminação do Palmeiras nas semifinais do Campeonato Paulista. Mas o lance foi invalidado pelo árbitro de vídeo (VAR, na sigla em inglês). Na última quinta-feira (13), no entanto, o centroavante mostrou que aprendeu a lição para nem ficar ansioso ao abrir o placar da vitória por 2 a 0 sobre o Avaí.

Novamente no estádio do Verdão, desta vez pela nona rodada do Campeonato Brasileiro, ele se adiantou à marcação e balançou as redes aos 32 minutos do primeiro tempo. Foi longa a espera pela consulta ao VAR, mas o atacante esteve tranquilo, só esperando a confirmação para comemorar com os colegas no banco de reservas com uma estratégia simples: olhou seu posicionamento antes de Marcos Rocha lançar e confiou na decisão certa do vídeo.

"Hoje em dia, tem o VAR, e temos de ficar esperando. Não sou contra. Preciso fazer meu trabalho, que é jogar, fazer gol, ajudar a equipe. Eu sabia que não estava impedido porque, no movimento que fiz, olhei para trás e vi que o zagueiro estava na mesma linha, eu até estava um pouquinho mais atrás", contou o camisa 16.

"Com o VAR, temos de esperar. É preciso entender. Não podemos querer ir contra o VAR. Tem câmera ali, aqui, e temos de esperar. Esperei, tranquilo, e consciente de que seria gol. Por isso, esperei perto dos meus companheiros para comemorar com eles, porque são os caras que sempre me dão força. E o treinador também", prosseguiu.

Auxiliou na tranquilidade de Deyverson o treinamento de Luiz Felipe Scolari. O técnico indicou a movimentação que o centroavante deveria fazer para aproveitar lançamentos como o de Marcos Rocha, olhando para ver seu posicionamento. Antes do jogo, Felipe Melo reforçou para o atacante lembrar isso. E foi possível até brincar com o assistente que apontou irregularidade.

"O bandeirinha deu impedimento, falei que não estava e ele deu risada. Fiquei tranquilo, é o trabalho dele também. Somos passíveis de erro. Sou um cara que já errei muito, não posso crucificar quem erra. Depois, viram o vídeo e pude comemorar", contou Deyverson.

O jogador conseguiu usar o árbitro de vídeo a seu favor, já que, sem ele, o gol seria equivocadamente anulado pela arbitragem no campo. Com esse acerto, a partida ficou mais tranquila e Bruno Henrique fechou a vitória por 2 a 0, aos 20 minutos do segundo tempo. Desta forma, o Palmeiras passa a pausa do Campeonato Brasileiro durante a Copa América na liderança isolada da competição.